Maurício Pereira faz trabalho de artesão com o guitarrista Tonho Penhasco e revisita seu próprio repertório no disco Micro

O trabalho também terá versão em vinil, que chega ainda no segundo semestre

A maneira ‘micro’ de ver o mundo é sem firulas, com poesia e guitarra pura”. Foi com essa convicção que Maurício Pereira, na companhia de Tonho Penhasco e sua guitarra Semi, construída pelo próprio guitarrista, revisitou canções do seu repertório para o oitavo disco-solo da carreira.

A dupla viu a gênese de Micro surgir durante a turnê #OutonoMICRO, na qual viajaram com o álbum Outono no Sudeste (2018) pelo Brasil de forma independente, com shows “ágeis e portáteis”. Apesar do pequeno porte das performances, elas deviam ser “grandiosas como se fossem shows no Carnegie Hall”, segundo Maurício. A filosofia “micro” foi ganhando força na estrada, assim como a parceria entre os músicos, que trabalham juntos desde 2007. “Eu respiro e o Tonho respira comigo; ele olha pro alto e eu sei pra onde ele vai tocar. A gente se conhece bastante e isso gera muita energia”, completa Maurício.

Com um amplificador Fender Twin de Lucinha Turnbull cheio de histórias, e um “microfonaço da antiga, desses que o Elvis usaria”, Maurício e Tonho reconstruíram e reaprenderam 12 composições, escolhidas dentre as mais de 40 músicas que tocaram em turnê. Micro também renova a parceria do cantor e compositor com o produtor Gustavo Ruiz, que assinou seu disco anterior, Outono no Sudeste, de 2018.

Tem música lado A, como ‘Pan y Leche’, ‘Imbarueri’ e ‘Um Dia Útil’, e também umas mais lado B, tipo ‘Um Teco-teco Amarelo em Chamas’ e ‘Não Me Incommodity’. Outras faixas estão no disco porque eu precisava brincar um pouco com as palavras, como ‘Andas Seca’ e ‘Criancice’“, explica MaurícioMicro ainda inclui as soluções musicais de Tonho para “Fugitivos”, “Deixa Eu Te Dizer” e “Não Adianta Tentar Segurar o Choro”; além da necessidade do guitarrista de soltar um blues em “Outono no Sudeste”; e a simplicidade de “Pra Onde Que Eu Tava Indo”.

O que era para ser um show funcional se transformou em energia, poesia e linguagem por meio de um trabalho de artesão. Em Micro, “tudo está muito às claras. Não tem maquiagem. Se a gente errar, errou. Se a gente se emocionar, se emocionou; se a gente gerar luz, a gente gerou luz. É um instrumento puro ali, é a voz pura ali, um som que não tem maquiagem, um diamante bruto”, finaliza Maurício.



Ficha Técnica:
Voz e sax soprano:
Maurício Pereira
Guitarra e vocais: Tonho Penhasco
Produção: Gustavo Ruiz
Gravação: Gustavo Ruiz (estúdio Brocal)
Mix: Renato Coppoli (estúdio Audio Freaks)
Master: Felipe Tichauer (Red Traxx Mastering)
Gravação adicional: Chico Bernardes (Minilab do Chico)
Capa: Fernando Vilela 
Assessoria jurídica: Fernando Yazbek/Spin Music
Distribuição digital: Tratore
Produção e distribuição do vinil: Bilesky Discos
Produção executiva geral: Marcella Datri/Arte Rumo

Tracklist:
1 – Fugitivos (Maurício Pereira) Spin Music
2 – Andas Seca (Maurício Pereira/Luís Felipe Gama) Spin Music/Inspiração Musical
3 – Não Me Incommodity (Maurício Pereira/Edson Natale) Spin Music
4 – Um Dia Útil (Maurício Pereira) Warner Chappell 
5 – Não Adianta Tentar Segurar o Choro (Maurício Pereira/Lincoln Antônio) Spin Music
6 – Um Teco Teco Amarelo em Chamas (Maurício Pereira/Arthur de Faria) Spin Music
7 – Pan y Leche (Maurício Pereira) Warner Chappell
8 – Outono no Sudeste (Maurício Pereira/Daniel Szafran) Spin Music
9 – Deixa Eu Te Dizer (Maurício Pereira/Tonho Penhasco) Spin Music
10 – Imbarueri (Maurício Pereira/André Abujamra) Warner Chappell
11 – Pra Onde Que Eu Tava Indo (Maurício Pereira/Chico Lobo) Spin Music/Humaitá
12 – Criancice (Maurício Pereira) Spin Music

Assessoria de Imprensa:
Trovoa Comunicação

Créditos:
Biel Basile


Sobre o autor