Rafa Rodrigues canta Nei Lopes é a última atração do ano do projeto O Samba é Meu Dom – 10 anos de Shows no Teatro Sinduscon-RS

Pics Música e Cultura | Rafa Rodrigues canta Nei Lopes é a última atração do ano do projeto O Samba é Meu Dom – 10 anos de Shows no Teatro Sinduscon-RS
Pics Música e Cultura | Rafa Rodrigues canta Nei Lopes é a última atração do ano do projeto O Samba é Meu Dom – 10 anos de Shows no Teatro Sinduscon-RS

O músico presta homenagem a este imenso artista brasileiro dia 14 de dezembro, quinta-feira, às 20h, no Teatro Sinduscon-RS. A entrada é franca

Encerrando este projeto que trouxe, ao longo de 2023, grandes nomes da música do sul homenageando artistas brasileiros de destaque em todos os tempos, Rafa Rodrigues apresenta um show inteiro dedicado à obra do compositor e escritor Nei Lopes, celebrando também seus parceiros musicais Wilson Moreira, João Nogueira, Ivan Lins, Fátima Guedes e Zé Luiz do Império.

No dia 14 de dezembro o palco do Teatro Sinduscon-RS se ilumina mais uma vez, fechando em grande estilo o projeto que comemorou os 10 anos desta iniciativa que vem movimentando toda a cadeia de artistas, produtores e técnicos do segmento da cultura. Dentro do guarda-chuva do Construção Cultural, O Samba é Meu Dom traz em sua cronologia mais de 80 shows de artistas que fizeram e fazem a história da música no RS.

Em 2023, além dos shows tradicionais, realizou circulação por municípios do RS e um projeto educacional composto por oficinas para alunos de escolas estaduais. Este projeto teve o financiamento do PRÓ-CULTURA e SEDAC-RS e patrocínio de CMPC e Elevato.

Rafa Rodrigues iniciou sua carreira na música na ala infanto-juvenil de cavaquinho da Imperadores do Samba e no Bloco Afrosul Odomodê. Fundador da Turucutá Batucada Coletiva Independente, que hoje é um dos mais reconhecidos grupos de batucada do sul do Brasil, integrou os grupos Forró Cavaco Chinês, Instituto Brasilidades, Caco Velho Ensemble e Triozinho da Silva. Como arranjador já trabalhou com Paulinho Fagundes, Hique Gomez, Valéria Barcellos, Gélson Oliveira, Antônio Carlos Falcão, Camila Toledo, Tonho Crocco, João de Almeida Neto, Nani Medeiros, Clarissa Ferreira, Adriana Deffenti, Pingo Borel, entre muitos outros artistas da cena sulista.

Assina os arranjos do projeto O Samba é Meu Dom, do Teatro Sinduscon/RS deste ano, ao lado de Elias Barboza. Foi diretor musical do show “Fantasmagórico” e das peças “Cabaré da Mulher Braba” e “Cabaré do Amor Rasgado“. Neste show em homenagem a Nei Lopes estará acompanhado do Regional formado por Mathias Behrends Pinto (violão), Fábio Azevedo (cavaquinho), Stefânia Johnson (flauta), Maicon Ouriques (pandeiro), Zalmir Chwartzmann (percussão), Marcelo Moyses (clarinete) e César Franarin (sax e apresentação).

Nei Braz Lopes nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no subúrbio de Irajá, em 9 de maio de 1942. É advogado, compositor, escritor, poeta, contista, sambista, pesquisador da cultura afro-brasileira e teatrólogo. Recém-formado, abandonou a carreira de advogado, profissão que o angustiava, passando a dedicar-se à música e à literatura. Músico desde 1972 é reconhecido nacionalmente pela parceria estabelecida com Wilson Moreira – renomado sambista brasileiro e por ter suas músicas gravadas pelos grandes interpretes do samba nacional. Foi um dos precursores do pagode fundo de quintal – tendência que deu ao samba uma nova roupagem. Além de músico e compositor, Nei Lopes é autor de uma obra constituída por contos, crônicas e poesias, que geralmente gira em torno da temática afro-brasileira. Militante da causa afrodescendente, desde os anos 70, foi chefe de gabinete e superintendente de Promoção Social na Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Negras do Governo do Rio de Janeiro, no início dos anos 90 e, mais tarde, assessor da presidência da Fundação Cultural Palmares do Ministério da Cultura.

Como militante e poeta, o autor faz da sua poesia uma tentativa de conscientização da população negra. Sua condição existencial perpassa a sua obra, como manifestação de uma consciência crítica de quem não se identifica diretamente com a África – berço de seus ancestrais – mas com a periferia dos grandes centros urbanos brasileiros, onde os negros encontram-se inseridos. Recentemente participou como palestrante do Projeto Unimúsica, na UFRGS, onde foi aplaudido de pé pelo público presente.

FICHA TÉCNICA DO PROJETO:
Mathias Behrends Pinto – Produção executiva e curadoria
Mateus Stanisckuaski – Sonorização/Streaming/Iluminação
Fábio Schein  – Técnico de som e luz
Bebê Baumgarten – Assessoria de imprensa
Ananda Aliardi – Social mídia

SERVIÇO:
O que: RAFA RODRIGUES canta NEI LOPES
Dia 14 de dezembro, quinta-feira, às 20h
Teatro Sinduscon-RS – Av. Augusto Meyer, 146
Entrada franca

REDES SOCIAIS
Instagram: https://www.instagram.com/teatrosindusconrs
Facebook: https://www.facebook.com/teatrosindusconrs

* Este projeto está sendo financiado pelo PRÓ-CULTURA e SEDAC-RS

Patrocínio: CMPC e Elevato

Informações para a Imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

PUBLICIDADE