Primavera Gaúcha, projeto idealizado pela SEDAC, chega ao streaming dia 18 de novembro, com destaque para aprodução audiovisual do RS

Créditos da Foto: Bruno Barreto

O projeto estará disponível na plataforma SULFLIX, dedicada ao cinema gaúcho, apresentando a quase totalidade dos filmes da mostra, composta por produções gaúchas de destaque

Primavera Gaúcha é o nome do projeto idealizado pela Secretaria da Cultura do RS (SEDAC), por meio do Instituto Estadual de Cinema (IECINE), que se iniciou em setembro com uma mostra na Cinemateca Paulo Amorim e agora chega ao streaming. Todo o programa se estrutura em torno de vinte longas-metragens, com curadoria assinada pela Associação de Críticos de Cinema do RS (ACCIRS). Os títulos selecionados para a mostra e também para o streaming, que estará no ar a partir de 18 de novembro durante 30 dias, são representativos do cinema feito no Rio Grande do Sul, seja por questões históricas, temáticas, de gênero ou trajetória premiada.

A intenção é dar visibilidade e oferecer conhecimento sobre elementos da cultura do sul do Brasil, bem como apresentar a multiplicidade da produção cinematográfica do estado” afirma a equipe curadora. Também houve a preocupação em destacar a trajetória de diferentes diretores e sua produção geracional, a partir de seus filmes mais relevantes. Os filmes serão disponibilizados gratuitamente na plataforma Sulflix, dedicada ao cinema gaúcho. A programação é gratuita e pode ser acessada em todos os formatos: televisão, notebook, celular, etc.

A Primavera Gaúcha foi viabilizada com recursos de uma emenda parlamentar do deputado gaúcho Ubiratan Sanderson e tem como eixo central celebrar e divulgar a produção audiovisual gaúcha para novos territórios e públicos, a partir de um conjunto de atividades que inclui mostra itinerante e plataforma de streaming, publicação de um livro, criação de um site e auxílio financeiro para que realizadores gaúchos participem de eventos de mercado e festivais.

PUBLICIDADE

Entre os filmes estão os consagrados Anahy de las Misiones (Sérgio Silva), O Homem que Copiava (Jorge Furtado), O Cárcere e a Rua (Liliana Sulzbach), Antes que o Mundo Acabe (Ana Azevedo), O Caso do Homem Errado (Camila Moraes), entre inúmeros títulos que se destacam no cinema brasileiro e gaúcho. Confira abaixo a programação e sinopses:

Anahy de las Missiones – de 18 de novembro a 17 de dezembro
O homem que copiava – de 18 de novembro a 17 de dezembro
O cárcere e a rua – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Antes que o mundo acabe – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Morro do céu – de 8 a 17 de dezembro
Em teu nome – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Walachai – de 18 de novembro a 17 de dezembro
A última estrada da praia – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Contos gauchescos – de 18 de novembro a 17 de dezembro
As aventuras do avião vermelho – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Ponto zero – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Rifle – de 8 a 17 de dezembro
O caso do homem errado – de 13 a 17 de dezembro
Bio – construindo uma vida – dias 16 e 17 de dezembro
Yonlu – de 18 de novembro a 17 de dezembro
Cidade dos piratas – de 18 de novembro a 17 de dezembro
A cabeça de Gumercindo Saraiva – de 3 a 17 de dezembro
Mulher do pai – de 8 a 17 de dezembro

SINOPSES:

ANAHY DE LAS MISIONES (Brasil, 1997, 107min). Direção de Sérgio Silva, com Araci Esteves, Marcos Palmeira, Dira Paes, Paulo José, Fernando Alves Pinto. 16 anos. Drama.
Sinopse: Uma mulher luta pela sobrevivência durante o período mais conturbado da história do Rio Grande do Sul, a Revolução Farroupilha. Arrastando um velho carroção sem bois, Anahy e seus filhos enfrentam a guerra, a morte e o medo, com o objetivo de manter a família unida. Inevitavelmente, o conflito se infiltra em sua vida e Anahy assiste impotente a dissolução de sua família.

PUBLICIDADE

O HOMEM QUE COPIAVA (Brasil, 2003, 123min). Direção de Jorge Furtado, com Lázaro Ramos, Leandra Leal, Luana Piovani, Pedro Cardoso, Júlio Andrade. 14 anos. Drama.
Sinopse: André é um jovem que trabalha na máquina fotocopiadora de uma papelaria. Um dia se apaixona por Sílvia, uma vizinha, a qual passa a observar com os binóculos em seu quarto. Decidido a conhecê-la melhor, descobre que ela trabalha em uma loja de roupas e, para conseguir uma aproximação, tenta de todas as formas conseguir 38 reais para comprar um suposto presente para a mãe.

O CÁRCERE E A RUA (Brasil, 2004, 80min). Direção de Liliana Sulzbach. 12 anos. Documentário.
Sinopse: Cláudia, presidiária mais antiga e respeitada da Penitenciária Madre Pelletier, deve deixar o cárcere em breve. Assim como Betânia, que vai para o regime semiaberto, e ao contrário de Daniela, que recém chegou na prisão e aguarda julgamento. Enquanto Daniela busca proteção na cadeia, Cláudia e Betânia vão enfrentar as incertezas de quem volta para a rua.

ANTES QUE O MUNDO ACABE (Brasil, 2009, 100min). Direção de Ana Luiza Azevedo, com Pedro Tergolina, Eduardo Cardoso, Bianca Menti. 10 anos. Drama.
Sinopse: Daniel é um adolescente crescendo em seu pequeno mundo com problemas que lhe parecem insolúveis: lidar com uma namorada que não sabe o que quer, ajudar um amigo que está sendo acusado de roubo e sair da pequena cidade onde vive. Tudo começa a mudar quando ele recebe uma carta do pai que ele nunca conheceu. Em meio a todas essas questões, ele será chamado a realizar suas primeiras escolhas adultas e descobrir que o mundo é muito maior do que ele pensa.

PUBLICIDADE

MORRO DO CÉU (Brasil, 2009, 71min). Direção de Gustavo Spolidoro. 14 anos. Documentário.
Sinopse: Morro do Céu é uma pequena comunidade de descendentes de italianos, localizada no alto de uma montanha no sul do Brasil. Lá o jovem Bruno Storti e seus amigos preenchem os dias de verão entre túneis de trem, colheita da uva e outras diversões, além da descoberta do primeiro amor.

EM TEU NOME (Brasil, 2009, 100min). Direção de Paulo Nascimento, com Leonardo Machado, Fernanda Moro, Nelson Diniz, César Troncoso, Silvia Buarque. 14 anos. Drama.
Sinopse: Boni, um estudante de engenharia entra para a luta armada, mas carrega dúvidas e medos sobre se este seria realmente o melhor caminho. Ele teme pela família, pela namorada e pelo futuro, que parece mais incerto a cada dia. Como tantos, Boni é preso, torturado e banido do país ao ser trocado pelo embaixador suíço no chamado Grupo dos 70. Exilado no Chile e ao lado da companheira Cecília, ele passa a compreender a sociedade de outra maneira.

WALACHAI (Brasil, 2009, 85min). Direção de Rejane Zilles. Livre. Drama.
Sinopse: Walachai é uma pequena comunidade rural no sul do Brasil em que as pessoas falam um antigo dialeto alemão. Os moradores, no entanto, não possuem qualquer relação com a Alemanha, identificando-se como brasileiros. A palavra Walachai significa um lugar longínquo, perdido no tempo, o que exatamente filme pretende mostrar.

PUBLICIDADE

A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA (Brasil, 2010, 93min). Direção de Fabiano de Souza, com Rafael Sieg, Miriã Possani, Marcos Contreras, Marcelo Adams. 14 anos. Drama.
Sinopse: Esta adaptação livre de “O Louco de Cati”, de Dyonelio Machado, traz a história de três grandes amigos, e também amantes: Leo, Norberto e Paula. Em uma viagem pelo litoral gaúcho, eles encontram um homem estranho, que não fala, e acaba, seguindo viagem com ele. Juntos, os quatro fazem novas descobertas.

CONTOS GAUCHESCOS (Brasil, 2011, 101min). Direção de Henrique de Freitas Lima, Pedro Zimmermann. 14 anos. Drama.
Sinopse: Contos Gauchescos – Simões Lopes Neto nas telas é a reunião de cinco segmentos: um prólogo com o documentário dramatizado Simões Lopes Neto entre o real e o imaginado – dirigido por Pedro Zimmermann – seguido por quatro curtas: Os Cabelos da China, Jogo do osso, Contrabandista, No manantial – dirigidos por Henrique de Freitas Lima.

AS AVENTURAS DO AVIÃO VERMELHO (Brasil, 2014, 72min). Direção de Frederico Pinto, José Maia, com Milton Gonçalves, Lázaro Ramos, Zezé Barbosa. Livre. Drama.
Sinopse: Fernandinho, um menino de oito anos, perdeu a mãe há pouco tempo e se tornou um garoto solitário, sem amigos e com problemas de relacionamento com o pai e na escola. Sem saber como lidar com a situação, o pai tenta conquistá-lo com presentes. Nada funciona até que ele dá para o filho um livro de sua infância. Encantado com a história, Fernandinho decide que precisa de um avião para salvar o Capitão Tormenta – aviador personagem do livro, que está preso no Kamchatka.

PUBLICIDADE

PONTO ZERO (Brasil, 2015, 88min). Direção de José Pedro Goulart, com Sandro Aliprandini, Patrícia Selonk, Eucir de Souza, Larissa Tavares. 14 anos. Drama.
Sinopse: Ênio tem quase quinze anos e precisa lidar com a chegada da vida adulta que se aproxima, enquanto tenta superar os traumas da infância, que incluíam acreditar em fantasmas, coisa que ele não faz há muito tempo. Na sua vida pessoal, age de ponte entre sua mãe, que acredita nesses espíritos, e seu pai, uma figura apática dentro de casa.

RIFLE (Brasil, 2016, 88min). Direção de Davi Pretto, com Dione Avila de Oliveira, Andressa Nogueira Goularte, Elizabete Farinha Nogueira, Evaristo Pimentel Goulart. 12 anos. Drama.
Sinopse: Dione é um jovem que vive com sua família isolados em uma região rural. A tranquilidade do local é abalada quando um rico proprietário tenta comprar a propriedade onde eles vivem. Dione resolve carregar consigo um rifle para defender seu território.

MULHER DO PAI (Brasil, 2016, 94min). Direção de Cristiane Oliveira. 12 anos. Drama.
Sinopse: Ruben e Nalu moram no campo, perto da fronteira entre Brasil e Uruguai. Quando ele percebe que a filha, aos 16 anos, já é uma mulher, uma perturbadora proximidade surge entre os dois. O estranhamento inicial dá lugar ao ciúme quando Rosario, uma atraente uruguaia, ganha espaço na vida de ambos.

PUBLICIDADE

O CASO DO HOMEM ERRADO (Brasil, 2017, 78min). Direção de Camila de Moraes. 14 anos. Drama.
Sinopse: Júlio César de Melo Pinto, o operário negro que foi executado em Porto Alegre pela Polícia Militar, nos anos 1980. A história do jovem é contada através de depoimentos como o de Ronaldo Bernardi, o fotógrafo que fez as imagens que tornaram o caso conhecido; o da viúva do operário, Juçara Pinto; e de nomes respeitados da luta pelos direitos humanos e do movimento negro no Brasil.

BIO – CONSTRUINDO UMA VIDA (Brasil, 2017, 105min). Direção de Carlos Gerbase, com Maria Fernanda Cândido, Maitê Proença, Sheron Menezzes, Werner Schunneman. 14 anos. Drama.
Sinopse: Nascido em 1959 e morto em 2070, um homem tem uma patologia especial que não o permite mentir. Depois de sua morte, amigos e membros de sua família se reúnem para relembrar acontecimentos especiais pelos quais passaram juntos e que montam um interessante retrato da biografia do rapaz.

YONLU (Brasil, 2017, 88min). Direção de Hique Montanari, com Thalles Cabral, Nelson Diniz, Lorena Lorenzo. 16 anos. Drama.
Sinopse: Vinícius Gageiro, mais conhecido como Yonlu, é um jovem poeta, músico e desenhista, fluente em quatro idiomas. Apesar de talentoso, ele decidiu dar fim à sua vida depois de ingressar em uma comunidade virtual de assistência para potenciais suicidas.

PUBLICIDADE

CIDADE DOS PIRATAS (Brasil, 2018, 84min). Direção de Otto Guerra, Marco Arruda, com Matheus Nachtergaele, Marco Ricca, Marcos Contreras. 16 anos. Drama.
Sinopse: Um diretor de cinema enfrenta uma situação complexa no meio da produção de seu longa-metragem: a autora de “Os Piratas do Tietê” começa a rejeitar os personagens quando o enredo está praticamente pronto. Para tentar salvar o filme, ele decide contar a sua história e realidade e ficção se misturam em um caótico labirinto.

A CABEÇA DE GUMERCINDO SARAIVA (Brasil, 2018, 95min). Direção de Tabajara Ruas, com Murilo Rosa, Leonardo Machado, Sirmar Antunes. 12 anos. Drama.
Sinopse: Em 1895, no final da Revolução Federalista, o capitão rebelde Francisco Saraiva e cinco cavaleiros cruzam o sul do Brasil em uma exasperante caçada para resgatar a cabeça de Gumercindo Saraiva, cortada pelos legalistas e levada à capital pelo major Ramiro de Oliveira e dois ajudantes.

PRIMAVERA GAÚCHA – Mostra de cinema na plataforma de streaming SULFLIX
A partir de 18 de novembro de 2023, com acesso gratuito

PUBLICIDADE

*O projeto Primavera Gaúcha é oferecido pela Secretaria da Cultura do RS, por meio do Instituto Estadual de Cinema, com recursos de uma emenda parlamentar do deputado gaúcho Ubiratan Sanderson

Informações para a imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

PUBLICIDADE