RELATOS DE ACORDAR cumpre seu papel ao jogar luz sobre preconceitos que afetam a vida de milhares de pessoas diariamente

Em webserie, videocasts, lives e entrevistas, o projeto abordou as violências sofridas por diversos segmentos da sociedade, além das violências recorrentes contra as mulheres

Um projeto como Relatos de Acordar faz grande diferença na sociedade. Com a proposta de sensibilizar cada vez mais pessoas, compartilhar as violências sofridas pelas mulheres e trazer para o debate as violências recorrentes em outros segmentos, como gordofobia, etarismo, machismo, racismo, trabalho análogo ao de escravo, preconceito com PCD e tantos outros que nos deparamos diariamente, Relatos de Acordar, idealizado pela atriz e diretora Deborah Finocchiaro, vem cumprindo seu papel.

Foram muitos e significativos alcances nessa trajetória: 392 pessoas assistiram a live de lançamento do projeto, que reuniu Deborah, Marcia Tiburi e Luiz Alberto Cassol; 698 pessoas assistiram Confessionários Relatos de Acordarwebserie com atrizes de destaque na cena gaúcha baseados em histórias reais; e 722 assistiram os quatro videocasts Invisíveis – Relatos de Acordar até julho de 2023. E os números seguem em movimento, pois todo o material produzido está disponível nas redes. No caso dos episódios de Confessionário, todos contam com versões com recursos de acessibilidade (audiodescrição, libras e legendas para surdos e ensurdecidos).

Entre os comentários acerca do projeto, há depoimentos fortes nas redes sociais, quando foram realizadas as séries de perguntas “você já foi humilhado?” ou “você já se sentiu invisível?”. Há respostas impactantes como “Todos os dias. Sou mulher, 49 anos e acima do peso” ; “Projeto lindo! Mulheres maravilhosas! Realmente são relatos de acordar!” ou “chocante e impactante. Às vezes nos fazemos de ‘cegos’ para não olhar o que está acontecendo”.

PUBLICIDADE

A atriz Sandra Dani, uma das convidadas para dar vida a uma vítima de violência, relata que o projeto lhe ofereceu a oportunidade concreta de colocar seu trabalho profissional como atriz a serviço e em defesa da mulher brasileira em situação de vulnerabilidade. “Relatos de Acordar revela de forma sensível e contundente um universo violento e assustador que atinge mulheres de todas idades e classes sociais. Somos mulheres, somos muitas e juntas devemos trabalhar para transformar essa triste e degradante realidade”, afirma a atriz.

Profissionais das mais diversas áreas, são unânimes em reconhecer a importância dessas reflexões propostas aqui: “Esta iniciativa serve como um alerta à sociedade de que a violência e a exploração não devem ser silenciadas, mas expostas e combatidas. Por meio da arte transmitiu experiências que tocaram o meu coração e de todos aqueles que tiveram e terão acesso. Sobre o combate ao trabalho análogo ao de escravo doméstico, está visibilizando essa forma de exploração, suscitando discussões que certamente contribuirão para mudanças sociais e ações concretas que levarão dignidade aos trabalhadores vítimas dessa grave violação de direitos” afirma a auditora fiscal Lucilene Pacini.

A jornalista Silvia Abreu afirma que o projeto e suas diversas abordagens trouxe ao centro das discussões questões urgentes na sociedade que precisam ser debatidas. “Questões que estavam sob o tapete, seja pelo preconceito, pela ignorância ou por tabu. O fato é que não é mais possível calar, silenciar, omitir. É importante que seja dada voz às pessoas invisibilizadas por um processo histórico de dominação, a fim de que o caráter plural da sociedade brasileira se imponha. Relatos de Acordar é mais uma ação corajosa nesta direção!”.

PUBLICIDADE

O contundente relato da delegada de polícia Ana Luiza Caruso corrobora que as ações devem ser afirmativas e continuadas: “As abordagens dos temas do projeto Relatos do Acordar são sempre muito interessantes e importantes. De maneira especial, o tema que evidencia a preocupação com a prevenção a violências, sejam elas evidentes ou silenciosas, contra as pessoas idosas, veio em momento oportuno. É preciso que se façam alertas, investimentos em informação e prevenção para diminuirmos os índices de criminalidade contra os  idosos. Relatos do Acordar fez isso de forma a chamar atenção para um problema social que vai da simples falta de empatia à maldade e ganância”, afirma. Segundo ela, depois que o idoso se torna vítima, além do prejuízo financeiro ou físico, ele é acometido por problemas psicológicos como depressão, falta de confiança em si mesmo e medo. “É muito bom saber que projetos como este existem, em especial num mundo em que os jovens estão engajados na proteção de animais exóticos em ameaça de extinção, mas pouco se fala em proporcionar amor, saúde e alegrias  aos nossos idosos”, completa.

Relatos de Acordar reuniu dois projetos anteriores de Deborah Finocchiaro e da Companhia de Solos & Bem Acompanhados, apresentados entre 2020 e 2021 com a ideia de ampliar essa discussão e promover transformações sociais. Amparado pela emenda parlamentar da Deputada Maria do Rosário através da Organização Caminhos da Cultura, o novo projeto apresentou webserie com três episódios, videocast com quatro histórias diferentes, entrevistas nas ruas de Porto Alegre, lives e uma ampla campanha nas redes sociais, envolvendo toda a sociedade, especialistas da área da saúde, do judiciário, artistas, transeuntes e estudiosos para falar sobre as violências da atualidade. “Concretizar o projeto Relatos de Acordar, que reúne tanta gente de diferentes áreas para discutir temas cruciais que dizem respeito a todas e todos nós, é a reafirmação na crença da arte como caminho real de transformações” afirma Deborah Finocchiaro. “Talvez o que mais me mova, é acreditar na possibilidade de contribuir, um milímetro que seja, por um mundo mais digno, mais justo, mais humano”, reflete a artista.

RELATOS DE ACORDAR – redes e canais de comunicação do projeto:
Instagram:
@confessionariorelatosdecasa
@invisiveishistorias
@ciadesolos

PUBLICIDADE

Facebook:
https://www.facebook.com/companhiadesolosebemacompanhados
https://www.facebook.com/confessionariorelatosdecasa

TikTok:
@relatosdeacordar

YouTube:
http://www.youtube.com/confessionario
https://www.youtube.com/user/deborahfinocchiaro

PUBLICIDADE

Spotify:
https://sptfy.com/6zVi

Produção: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados, Organização Caminhos da Cultura, Ministério da Cultura e Governo Federal

PUBLICIDADE

Projeto realizado com emenda parlamentar do gabinete da Deputada Maria do Rosário

Informações para a Imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

PUBLICIDADE