O projeto BENDITA SOIS VOZ – Histórias que sopram do Sul reúne mulheres da cena cultural contando histórias de outras importantes mulheres gaúchas

As vidas e histórias de Cacica Acuab, Dona Conceição dos Mil Sambas, Maristoni Lima de Moura e Ana Maria Primavesi serão descortinadas neste projeto de rádio-teatro a partir de 22 de julho

Quando muitas mulheres da cena cultural de uma aldeia se reúnem para tocar um projeto, sabe-se que ele terá sensibilidade, profundidade, rede de apoio, saberes cruzados e dedicação. Da reunião de dois coletivos essencialmente femininos que atuam nas artes cênicas da cidade, a Cia Circular e o Coletivo Das Flor, surgiu o Bendita Sois Voz – Histórias que sopram do Sul, que traçará a linha do tempo de histórias fundamentais do sul do Brasil e as jogará aos quatro ventos do país em episódios de rádio-teatro, disponibilizados nas plataformas digitais e rádios parceiras.

Para isto, as idealizadoras do projeto Júlia Ludwig e Luciane Panisson convidaram um time de musicistas, artistas visuais, produtoras, atrizes e divulgadora para ilustrarem essas histórias. Bendita Sois Voz foi contemplado pelo Pró-Cultura RS FAC, aprovado no Edital SEDAC nº 16/2021 – Edital de Concurso FAC das Artes de Espetáculo.

O ponto de partida são entrevistas e pesquisas sobre a vida e obra dessas mulheres, vindas de diversas áreas de atuação, potentes figuras do RS: a Cacica Acuab, primeira mulher Cacica Geral do Povo Charrua do Rio Grande do Sul; Dona Conceição dos Mil Sambas, pelotense da Vila Castilhos, região periférica da cidade, compositora autodidata e intuitiva que compôs mais de mil sambas; a fundadora do coletivo Ksa Rosa, Maristoni Lima de Moura, que por meio da educação popular e resistência cultural busca articular políticas como a de redução de danos e luta por melhores condições de vida e trabalho para os catadores de material reciclável em Porto Alegre e, por fim Ana Maria Primavesi, austríaca radicada no RS, precursora da agroecologia no Brasil que lutou incansavelmente para conservação de um solo permeável que gere plantações saudáveis e dispensem o uso agrotóxicos para as próximas gerações. Ana Maria Primavesi faleceu em 2020, aos 99 anos.

PUBLICIDADE

A partir desses depoimentos em áudio e vídeo, além de pesquisas as artistas Bruna Espinosa, Dejeane Arruée, Maria Falkembach e Luciana Paz, darão vozes a essas mulheres, interpretando suas histórias, sob o viés da escrita poética tecida pelas artistas idealizadoras: Luciane Panisson e Júlia Ludwig. A trilha sonora original é composta e dirigida por Maria Clara Coelho sendo editada e mixada por Daniela Pastore. O resultado será disponibilizado nas plataformas de streaming e, também, oferecido a emissoras de rádio que queiram difundir os episódios, cada um com 15 minutos de duração.

Paralelo à produção dos episódios sobre a vida dessas emblemáticas figuras, o projeto Bendita Sois Voz ofereceu oficinas de dramaturgia que instrumentalizaram os participantes para ressignificar suas histórias. Em quatro edições, cada uma com três horas de duração, a oficina usou a metodologia da criação dos roteiros do seu programa, o Bendita Sois Voz, para instigar os participantes a criarem sua própria dramaturgia, fazendo pontes entre suas biografias com personalidades, heroínas, passagens mitológicas e simbologias.

Este projeto está sendo realizado com recursos do Pró-Cultura RS FAC – Fundo de Apoio à Cultura, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e já está na fase de pesquisa e entrevistas. Os episódios de rádio-teatro serão disponibilizados a partir de julho de 2023. O lançamento do podcast será dia 22, com o episódio sobre a vida da Cacica Acuab. Dia 27 de julho é a vez de Maristoni Lima de Moura. Já em agosto, acontecem os podcasts sobre Ana Maria Primavesi no dia 5 e, por fim, em 12 de agosto o de Conceição dos Mil Sambas.

PUBLICIDADE

AS PERSONAGENS

Cacica Acuab é a primeira mulher cacica geral do povo Charrua do Rio Grande do Sul. Pertence aos últimos Charruas e seus antepassados escaparam da matança de Salsipuedes para São Borja, São Miguel das Missões, Santo Ângelo e Porto Alegre. São Charruas que lutaram e são reconhecidos desde 2007 em Porto Alegre. Ela atua na Aldeia Polidoro na Estrada São Caetano Parada 38 – número 2004, na capital gaúcha, e luta incansavelmente pelos direitos do seu povo.

Dona Conceição dos Mil Sambas é pelotense da Vila Castilhos, região periférica da cidade localizada ao sul do RS. Compositora autodidata e intuitiva, compôs mais de mil sambas, mas não somente este gênero, como também valsas, tangos, bossas, canções regionais gaúchas numa diversificada produção criativa. Mãe comunitária muito conhecida em Pelotas, criou mais de cem filhos e foi conselheira pessoal e guia espiritual para pessoas que a procuram com frequência. No início dos anos 80 retirou-se da vida musical para se dedicar exclusivamente às crianças. Ainda assim, continuou escrevendo suas músicas durante as madrugadas, depois de suas atividades como líder comunitária, mãe e doméstica. Essa produção, apesar das dificuldades, nunca foi interrompida. Gravou seu primeiro CD e DVD em 2017, ao vivo, preenchendo uma lacuna fundamental na historiografia musical da música popular produzida no sul do Brasil.

PUBLICIDADE

A fundadora do coletivo Ksa Rosa, Maristoni Lima de Moura, por meio da educação popular e resistência cultural, busca articular políticas como a de redução de danos. Ela passou quase 17 dos seus 50 anos lutando por melhores condições de vida e trabalho para os catadores de material reciclável em Porto Alegre. A vontade de prestar esse auxílio surgiu ainda no início da vida adulta, quando veio para a Capital participar de ocupações em movimentos de massa. Abalada pelo contato com os impactos das drogas em seus companheiros de ativismo, a ativista sentiu que ali era o campo de atuação onde poderia fazer a diferença. A Ksa Rosa, que fica localizada em Porto Alegre/ RS, na avenida Farrapos, é uma das ocupações da cidade que serve como centro de recicladores na região. É também um centro de acolhimento para ex-dependentes químicos e entre as funções do coletivo estão o acolhimento, centro de reciclagem, venda de produtos produzidos artesanalmente e ainda centro cultural para a população ao entorno.

Ana Maria Primavesi foi precursora da agroecologia no Brasil. A Dra. Primavesi, como era conhecida, estudou agronomia em Viena, na Áustria, onde nasceu. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi presa com seu pai por tropas inglesas e mantida em um campo de prisioneiros por nove meses. Quando livre, se casou com Arthur Primavesi e se mudou para o Brasil, onde formou quatro gerações de profissionais das ciências agrárias, quebrando paradigmas da agroindústria. Para ela, a simples conservação de um solo permeável basta para gerar uma plantação saudável, sem a necessidade de agrotóxicos. “A monocultura nos trouxe uma avalanche de doenças aplacadas por agrotóxicos”, alertava. Fundou várias organizações voltadas à agricultura, como AAO (Associação de Agricultura Orgânica) em São Paulo. Foi ainda incentivadora da Feira do Produtor Orgânico do parque da Água Branca, onde os agricultores vendem seus produtos diretamente ao consumidor, sem intermediários. Ana Maria Primavesi faleceu em janeiro de 2020, aos 99 anos e deixou um legado imensurável.

OS GRUPOS PROPONENTES

PUBLICIDADE

O Coletivo Das Flor é formado por artistas da dança, teatro, música, artes visuais e cinema, que investigam a fusão dessas linguagens e um objeto concreto escolhido como recurso sensível de criação. Também atuam como professores, facilitadores e oficineiros em vivências que passam por espaços de convívio criativos e afetivos, em saídas de campo, intervenções urbanas e oficinas de artes integradas oferecidas às comunidades, grupos sociais, artistas e estudantes de arte e educação. Procuram praticar um diálogo antropofágico que possa agregar percepções diversas, de vida e de mundo, para suas criações.

Cia Circular une princípios da economia circular com realizações artísticas e pedagógicas.

Tece sua poética na observação dos ciclos naturais e entende a cultura humana como parte da natureza. Têm os valores femininos como guias na transição de um tempo linear para circular. Visa colaborar com a distribuição de riquezas materiais e imateriais, gerando benefícios socioambientais com sua atuação.

PUBLICIDADE

FICHA TÉCNICA:
Júlia Ludwig e Luciane Panisson – Direção geral, pesquisa, dramaturgia, locuções e oficinas
Maria Clara Coelho – Direção musical
Daniela Pastore – Edição e masterização
Aline Grisa / Bufa Produções – Direção de produção
Bruna Espinosa e Dejeane Arruée – Instrumentistas convidadas
Luciana Paz e Maria Falkembach – Atrizes convidadas
Nathália Stribel – Mídias sociais
Bebê Baumgarten – Assessoria de Imprensa
Paula Lix – Design gráfico e Identidade visual
Tuane Eggers – Registros fotográficos e audiovisuais
Conceição Rosa Teixeira, Maristoni Lima de Moura e Cacica Acuab – Protagonistas entrevistadas

BENDITA SOIS VOZ – Histórias que sopram do Sul
Série de rádio-teatro em quatro episódios de 15 minutos cada
22 de julho – lançamento do projeto/ podcast com Cacica Acuab
29 de julho – podcast com Maristoni Lima de Moura
05 de agosto –  podcast sobre Ana Maria Primavesi
12 de agosto -podcast com Conceição dos Mil Sambas

* nas plataformas digitais e rádios parceiras

PUBLICIDADE

Este projeto foi contemplado pelo Pró-Cultura RS FAC, aprovado no Edital SEDAC nº 16/2021 – Edital de Concurso FAC das Artes de Espetáculo

Redes do projeto:
https://www.instagram.com/bendita.sois.voz
https://www.facebook.com/BenditaSoisVoz

Assessoria de Imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

PUBLICIDADE

Crédito das Fotos:
Tuane Eggers

PUBLICIDADE