Aldir Blanc: alma suburbana é o nome da segunda atração do projeto O Samba é Meu Dom – 10 anos de Shows no Teatro Sinduscon-RS

Alexandre Susin e banda homenageiam este imenso artista e sua obra, dia 29 de junho, quinta-feira, às 20h, no Teatro Sinduscon-RS. A entrada é franca

Alexandre Susin retorna ao Teatro do Sinduscon para apresentar o show Aldir Blanc: alma suburbana, em homenagem a um dos maiores letristas da música brasileira. Integrando o projeto O Samba é meu Dom – 10 anos de shows no Teatro Sinduscon-RS, esta é a segunda atração e, assim como as outras, vem repleta de significados, entre eles, o fortalecimento de toda a cadeia de compositoras e compositores da nossa cena cultural, uma vez que o projeto fomenta, oportuniza e leva ao público grandes shows de samba e choro ao longo do ano todo, sempre com entrada gratuita. Este projeto está sendo financiado pelo PRÓ-CULTURA e SEDAC-RS e tem o patrocínio de CMPC e Elevato.

A apresentação do dia 29 de junho, quinta-feira, às 20h, visitará a obra do genial Aldir Blanc, falecido em 2020, apresentando algumas de suas colaborações inesquecíveis com artistas como João Bosco, Moacyr Luz e Wilson das Neves. Além de cantar Aldir, Alexandre Susin também apresentará alguns sambas de sua autoria, em parceria com o violonista Mathias Pinto, lançados por ele nas plataformas digitais, como “Eu te avisei“, “Ginga” e “O samba é pau” que conta também com a parceria do bandolinista Elias Barboza.

O grupo que acompanhará Susin é formado pelos músicos Mathias Behrends Pinto (violão), Rafael Rodrigues (percussão), Fábio Azevedo (cavaquinho), Lucian Krolow (flauta), Maicon Ouriques (pandeiro), Zalmir Chwartzmann (percussão), Marcelo Moyses (clarinete) e César Franarin (sax e apresentação).

PUBLICIDADE

Aldir Blanc foi um renomado compositor, letrista e escritor brasileiro. Reconhecido por sua genialidade poética e sensibilidade musical, deixou uma marca indelével na cultura brasileira. Nascido no Rio de Janeiro em 1946, Blanc começou sua carreira na década de 1960, quando se juntou ao movimento musical conhecido como “Pessoal do Canto“. Ao longo de sua carreira, estabeleceu parcerias musicais icônicas, colaborando com artistas como João Bosco, Moacyr Luz, Wilson das Neves e muitos outros. Suas letras eram repletas de reflexões profundas sobre a vida, amor, injustiça social e a realidade do Brasil. Seu estilo poético e envolvente conquistou admiradores em todo o país. Canções como “O Bêbado e a Equilibrista“, que se tornou um hino de resistência durante a ditadura militar, e “Incompatibilidade de Gênios” são apenas alguns exemplos do seu impressionante legado musical. Escritor e cronista, faleceu em 2020, mas seu legado segue firme e forte, inspirando gerações de artistas brasileiros.

Compositor, cantor e cavaquinhista, Alexandre Susin atua em grupos de sambas e choro desde 2006. Durante mais de uma década comandou uma roda de samba semanal no Afro-Sul Odomodê com o Grupo Central do Samba. Nos anos de 2017 e 2018 foi professor de canto e cavaquinho na Oficina de Choro Santander Cultural em Porto Alegre. Atualmente é integrante do Sexteto Gaúcho, grupo de choro com participação em festivais como Festival Internacional de Choro em NY, Poa Jazz Festival, Noite nos Museus, FEBI, O Choro é Livre e Festival Internacional SESC de Música em Pelotas desde 2018, onde também faz parte da equipe de professores no curso de choro. Como compositor tem canções gravadas por artistas como Nani Medeiros, Makley Mathos, Mathias 7 cordas, Samba e Amor, Ju Rosenthal e Leandro Bertolo. Em 2020, durante a pandemia, lançou o e-book “Sambas que fizeram a história”, pesquisa realizada durante 5 anos, que resultou em uma lista com quase 1200 sambas que tiveram mais relevância durante um pouco mais de um século de história, com letras, compositores e anos de gravação. No final de 2022 e início de 2023 lançou 3 singles, em seu projeto de estreia como intérprete de seus sambas, com produção do violonista Rafael Mallmith.

Sobre o projeto O Samba é Meu Dom – 10 anos de shows no Teatro Sinduscon-RS

PUBLICIDADE

No ano de 2023 completam-se dez anos de um projeto fundamental para a cidade, o Construção Cultural. O que começou com uma ideia visionária de unir a história do Sinduscon-RS à um projeto cultural nomeado Sindusom, deu tão certo que originou a efervescência de um teatro, o Teatro Sinduscon-RS, ao longo de uma década, movimentando milhares de pessoas em apresentações mensais, eventos e oficinas, oferecidos de forma gratuita para a comunidade. Esta iniciativa surgiu de uma equipe atenta aos anseios da cidade e à importância da cultura na formação de uma sociedade, que se fortalece à medida que se apropria de sua história e sua arte.

Dentro do guarda-chuva do Construção Cultural, o projeto traz em sua história mais de 80 shows de artistas que fizeram e fazem a história da música no RS. Em 2023 recebeu o nome de O samba é meu dom – 10 anos de shows no Teatro Sinduscon-RS, e apresenta nesta nova temporada um perfil muito especial. Além dos shows tradicionais, sempre na última quinta-feira de cada mês, haverá uma circulação por municípios do RS e um projeto educacional composto por oficinas que irão traçar a linha do tempo da MPB brasileira a partir de exemplos práticos e da experiência do músico e professor Mathias Pinto, que assina a curadoria de todo o projeto. As oficinas serão oferecidas de forma gratuita para alunos de escolas estaduais.

Na programação de shows, no Teatro Sinduscon-RS e em municípios  do RS, estarão artistas em ascensão intercalados a artistas com larga trajetória, estabelecendo conexões entre diferentes públicos e valorizando a música popular brasileira, mais especificamente o samba e o choro. Natália Santos, Alexandre Susin, Glau Barros, Luiz Machado e Paulo Carvalho, Adriana Deffenti, Valéria Barcellos e Rafael Rodrigues estão na grade de programação do Teatro Sinduscon-RS, homenageando, respectivamente, as personalidades da música brasileira Jovelina Pérola Negra, Aldir Blanc, Clementina de Jesus, Waldir Azevedo, Elis Regina, Alcione e Nei Lopes. Já Gabriel Maciel fará um show alusivo à história do samba, em outubro, e será um dos artistas que circulará em escolas com o projeto educacional e também em Guaíba. Já nas demais localidades (a confirmar) os músicos Elias Barbosa e Edu Moreira farão as apresentações.

PUBLICIDADE

Ficha técnica do projeto:
Mathias Behrends Pinto – Produção executiva e curadoria
Banda: Mathias Behrends Pinto (violão), Rafael Rodrigues (percussão) , Fábio Azevedo (cavaquinho), Stefania Johnson (flauta), Maicon Ouriques (pandeiro), Zalmir Chwartzmann (percussão), Marcelo Moyses (clarinete) e César Franarin (sax e apresentação)
Mateus Stanisckuaski  – Sonorização/Streaming/Iluminação
Fábio Schein  – Técnico de som e luz
Bebê Baumgarten – Assessoria de imprensa
Ananda Aliardi – Social mídia

SERVIÇO
O que: ALDIR BLANC: ALMA SUBURBANA – show com Alexandre Susin e banda
Data: 29 de junho, quinta-feira, às 20h
Local: Teatro Sinduscon-RS – Av. Augusto Meyer, 146
Entrada franca

* Este projeto está sendo financiado pelo PRÓ-CULTURA e SEDAC-RS

PUBLICIDADE

Redes Sociais:
https://www.instagram.com/teatrosindusconrs
https://www.facebook.com/teatrosindusconrs

Links para a obra de Alexandre Susin:
YouTube: https://youtu.be/bNsSyK8n3yk
Spotify: open.spotify.com
Instagram: www.instagram.com/alexandre_susin

Patrocínio: CMPC e Elevato

PUBLICIDADE

Assessoria de Imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

Crédito da Foto:
Tom Silveira

PUBLICIDADE