The Night Flight Orchestra – Amber Galactic (Um Metal por Dia)

The Night Flight Orchestra – Amber Galactic

Indo na contramão das sua banda principal, Björn “Speed” Strid formou o The Night Flight Orchestra em 2007

O vocalista do Soilwork, interessado em criar algo para além do death metal melódico, recrutou o guitarrista David Andersson, o baixista Sharlee D’angelo (do Arch Enemy) e o baterista Jonas Källsbäck para investir em uma sonoridade mais leve, beirando o hardrock oitentista e o rock progressivo.

O grupo, que assinou com a Nuclear Blast e conseguiu chamar a atenção com a sua proposta vintage, soltou o seu terceiro trabalho de estúdio, chamado “Amber Galactic“, em 2017.

Indicado ao Grammy sueco e muito bem-recebido pela crítica especializada, o registro é um ótimo exemplo de como o quarteto sueco tem muita química e uma criatividade impressionante. As canções enérgicas e dançantes do material, que ainda incorporam algumas referências do AOR e do classicrock, têm um bom apelo radiofônico e evidenciam toda a desenvoltura da banda, que entrou no estúdio acompanhada pelo tecladista Richard Larsson e pelo percussionista Sebastian Forslund.

Se “Amber Galactic” pode incomodar aqueles que esperavam mais agressividade e menos influências do pop e da disco music, as suas músicas são contagiantes, com refrãos envolventes e proporcionam quase uma hora de diversão. “Midnight Flyer“, “Star of Rio“, “Gemini“, “Jennie“, “Space Whisperer“, “Something Mysterious” e “Saturn in Velvet” são os principais destaques do disco, que transformou o The Night Flight Orchestra em uma banda efetiva, sem mais o status de um projeto paralelo.

Eleito um dos melhores lançamentos de 2017 por diversas publicações especializadas, “Amber Galactic” chegou ao Brasil há algum tempo através da parceria da Shinigami Records BR com a Nuclear Blast.




Sobre o autor