House Of Lords – Come To My Kingdom (Um Metal por Dia)

House Of Lords – Come To My Kingdom

Apesar de não estar entre os principais nomes do Hard Rock norte-americano, o House of Lords conquistou o seu devido espaço, com uma carreira que já soma mais de três décadas

O grupo de Los Angeles, liderado pelo vocalista James Christian, contou com o suporte da Frontiers Music srl para soltar o seu sexto trabalho de estúdio, intitulado “Come to My Kingdom”, em 2008.

Depois de despertar o interesse das grandes gravadoras e falhar miseravelmente diante das expectativas comerciais traçadas pela BMG e pela POLYGRAM, a banda se sentiu mais à vontade sem aquela pressão feita pelos empresários e conseguiu criar aqui um repertório forte e enérgico, que ainda absorve um pouco do AOR e do Glam Metal.

Ao lado do produtor Jeff Kent, o guitarrista Jimi Bell compôs praticamente sozinho as 13 faixas do registro, que chamam a atenção por conta das suas harmonias vibrantes, dos seus refrões grudentos e da sua pegada bem radiofônica. Sem fugir dos principais clichês do estilo, o House of Lords acertou ao explorar o seu senso melódico bastante apurado, indo dos riffs encorpados às baladas com uma enorme naturalidade.

Se “Come to My Kingdom” não tem nenhuma música com potencial para se tornar um hit, a faixa-título, “I Don’t Wanna Wait All Night”, “Another Day from Heaven”, “In a Perfect World”, “One Touch” e “Even Love Can’t Save Us” são os melhores momentos do registro, que garante uma hora de boa música. Com uma abordagem leve e madura, o álbum tem tudo para agradar os headbangers de paladar refinado.

Com números bastantes modestos nas plataformas de streaming, o House of Lords sofre um pouco por não ter os seus dois maiores clássicos – os seminais “House of Lords” (1988) e “Sahara” (1990) – disponíveis nos serviços digitais.




Sobre o autor