Deep Purple – Machine Head (Um Metal por Dia)

Deep Purple – Machine Head

O Deep Purple já tinha uma trajetória de sucesso quando lançou a sua principal obra-prima

Machine Head“, sexto trabalho de estúdio do grupo britânico, chegou às lojas em 1972 e consolidou a banda como um dos pilares da música pesada mundial. Gravado em apenas duas semanas, no estúdio móvel dos Rolling Stones montado nas dependências do icônico Grand Hotel de Mountreux, o registro teve uma repercussão estrondosa na época, ficando vários meses no topo das paradas da Inglaterra e dos Estados Unidos.

Abrindo um pouco as influências do blues para incorporar elementos mais pesados, Machine Head é o item de maior inspiração do line-up clássico da banda, formado por Ian Gillan, Richie Blackmore, Roger Glover, Jon Lord e Ian Paice. Com uma sonoridade que vai do rock progressivo àquilo que depois seria chamado de heavy metal, o álbum é bastante visceral e pulsante, com um instrumental marcado pela sua complexidade e pela sua sofisticação.

Alguns dos maiores hits do grupo, como “Highway Star” e “Smoke on The Water“, estão aqui, assim como as ótimas “Maybe I’m a Leo” e “Never Before” e as imprescindíveis “Pictures of Home“, “Lazy” e “Space Truckin’”. Magistralmente composto e executado de forma igualmente primorosa, “Machine Head” beira a perfeição e, não por acaso, é considerado pela Kerrang (e por inúmeras outras publicações) um dos discos mais importantes de todos os tempos.

Com apenas 37 minutos de duração, não há como não se contagiar com as sete composições do material. O registro, que completará 50 anos de vida em 2022, nunca perderá o status de clássico insuperável – não só do Deep Purple, mas do rock’n’roll em geral.




Sobre o autor