Andre Matos – Time To Be Free (Um Metal por Dia)

Andre Matos – Time To Be Free

Com a dissolução do Shaman, Andre Matos iniciou uma bem-sucedida carreira solo, que contabilizou três discos lançados de 2007 a 2012

O trabalho de estreia do cantor, com o sugestivo título de “Time to Be Free”, foi produzido por Roy Z (Rob Halford e Bruce Dickinson) e manteve boa parte dos ex-companheiros de banda ao lado do vocalista, como Hugo Mariutti (guitarra), Luis Mariutti (baixo) e Fábio Ribeiro (teclado), com o acréscimo de André Hernandes (guitarra) e Rafael Rosa (bateria).

Distribuído no Brasil pela gigante Universal Music, o registro é marcado pela sua sonoridade agressiva e bem diferente daquilo que era feito nos tempos de Angra, por exemplo. O metal melódico que sempre acompanhou Andre Matos perdeu aqui as suas influências da música brasileira para ganhar um contorno mais complexo e contemporâneo, incorporando referências do heavy tradicional e do metal progressivo quase que na mesma proporção. Aclamado no Japão, “Time to Be Free” teve um desempenho comercial apenas razoável no restante do planeta, mas deixou claro que Matos sempre foi um compositor e um frontman diferenciado.

Os riffs pesados, as linhas de teclado e os refrões pegajosos são os três pilares do álbum, que acerta sempre que investe em canções enérgicas e aceleradas. “Letting Go”, “Rio” (que venceu o Worldwide Prize Music Awards 2008 na categoria ‘melhor canção de heavy metal’), “Face the End”, “Time to Be Free” e “Endeavour” são os principais destaques do material, que ainda conta com uma interessante releitura de “Separate Ways (worlds Apart)”, do Journey.

Sofisticado e muito bem lapidado, “Time to Be Free” submerge nos clichês do gênero sem se tornar uma obra cansativa ou pouco criativa. As fórmulas escolhidas funcionaram excepcionalmente bem durante todo o repertório.




Sobre o autor