GRUPOJOGO anuncia o espetáculo “Um fascista no divã”, com estreia dia 11 de outubro no Teatro Carlos Carvalho, da CCMQ

Inspirado no texto de Márcia Tiburi e Rubens Casara o projeto comemora os 15 anos do coletivo teatral e está com financiamento coletivo aberto no Apoia-se, para quem puder e quiser se engajar

 “Um fascista no divã” tem como fio condutor o ato de amor que envolve a política de construção do diálogo contra o ódio. Inspirado na peça escrita pela filósofa Márcia Tiburi e pelo jurista e psicanalista Rubens Casara, o espetáculo teatral se debruça sobre tema tão atual nos dias de hoje e pretende contribuir para um discurso inclusivo no campo do mundo real, mais ainda em sua concretude no período eleitoral mais importante que o Brasil está prestes a atravessar. É sabido que navegamos em águas turbulentas no cenário político brasileiro devido a sua concreta ascensão ao fascismo. “Um fascista no divã” se propõe a elucidar o tema, buscando como linha de base o teste psicossocial da escala F de Theodoro W Adorno – filósofo que criou a medida autoritária de um sujeito. A montagem estreia dia 11 de outubro no Teatro Carlos Carvalho, da Casa de Cultura Mario Quintana, onde permanece em temporada até dia 16 de outubro.

O espetáculo, com direção de Alexandre Dill e estrelado por Vinícius Meneguzzi, tem a produção de Sofia Ferreira e dramaturgia e cinematografia de Gabriel Pontes. A trilha sonora é assinada por Ian Ramil. A peça, que integra a integra a programação de 15 anos do GRUPOJOGO de Teatro, se concretiza a partir de uma sugestão de Vinícius Meneguzzi, ator e performer, que propôs fazer uma parceria com o Grupo Jogo e com a Reina Produções para elaborar um metafórico contra-ataque cultural, reunindo forças artísticas que cresceram juntas na cidade de Porto Alegre, e que buscam elucidação artístico-política em tempos tão caóticos e atravessados por tanta desinformação.

Esta será a primeira montagem de teatro com textos da filósofa gaúcha, tendo como esqueleto central, seu primeiro texto escrito especificamente para o teatro. Com a autorização da autora, o espetáculo sintetiza a elucidação da escalada autoritária na sociedade. Além do texto “Um fascista no divã”, esqueleto central do projeto, a encenação se aprofunda no universo da filósofa para compor essa narrativa estética, utilizando pensamentos e passagens de demais livros da autora como Complexo de vira-lataComo conversar com um fascistaDelírio de poder, O ridículo político e Como acabar com Turbotecnomachonazifascista, na intenção de evocar aquilo de que somos feitos: dos pequenos pedaços de lembranças da história. Para sempre aprender e talvez lutar para não se repetir.

Os ingressos estão disponíveis na plataforma Apoia-se: https://apoia.se/umfascistanodiva.

SOBRE A EQUIPE
Márcia Tiburi é uma filósofa, escritora e professora brasileira. Atuante também na política, já foi candidata ao governo do Rio de Janeiro pelo Partido dos Trabalhadores. Nascida em 1970 em Vacaria, Rio Grande do Sul, tornou-se uma figura conhecida no Brasil, pois desde os anos 2000 suas contribuições ganharam destaque, quando a mídia passou a dar maior importância a debates filosóficos em programas de televisão, por exemplo. Márcia Tiburi se formou em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1990) e em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996). Fez mestrado e doutorado onde se aprofundou na filosofia contemporânea, principalmente em temas como feminismo, estética e ética. Participou do programa de televisão Saia Justa, no canal GNT entre 2005 e 2010. Além de escritora, hoje dá aulas em cursos livres na escola de filosofia Passagens, localizada no Rio de Janeiro. Por conta de seu posicionamento declaradamente democrático e antifascista, assim como sua ligação com a política, passou a ser alvo de ataques e ameaças contra sua integridade. A crescente hostilidade fez com que ela decidisse viver fora do Brasil e se radicasse na Europa.

Fundado em 2007, o GRUPOJOGO completou 15 anos de atividades ininterruptas e trabalho contínuo na cidade de Porto Alegre. Em 2010, o Jogo aderiu ao Projeto Usina das Artes, o que lhe permitiu desenvolver pesquisas cênicas focadas e pautadas na comunhão entre dança, teatro e artes visuais, considerados processos criativos indissociáveis em suas produções. De lá pra cá foram realizou dez espetáculos teatrais, entre eles Fenícias (2008) Play-Beckett (2009), Para acabar com o julgamento de deus (2010), Fauno (2012), A Noite Árabe (2013), Amor Amor Amor (2014), Medeamaterial (2015), As Trevas Ridículas (2017), Tremor (2018), Deus é um DJ (2019) e Prédios Espelhados matam Passarinhos (2022).

A Reina Produções foi a produtora que idealizou e realizou o 1o Festival Internacional de Arte Sonora de Porto Alegre, Ovo Festival Sonoro, em 2016, juntamente com Carina Levitan, via Fundo de Apoio à Cultura/RS. Lançou nacionalmente o disco Leve Embora de Thiago Ramil pelo Natura Musical/Lei de Incentivo à Cultura/RS em 2015, além de ter produzido, por quatro anos, o coletivo carnavalesco Bloco da Laje. Recentemente é coprodutora do Fade to Black Festival, iniciativa internacional para alavancar narrativas negras no audiovisual, e lançará em breve dois curtas-metragens, Odilon Lopez, Essência, Semente e Luz e Oliveira Silveira, O Poeta da Consciência Negra. Reina Produções também é responsável pelo lançamento do terceiro disco do músico Ian Ramil, vencedor do Grammy Latino.

Vinícius Meneguzzi vem desenvolvendo ampla pesquisa no campo da performance desde 2009. Realizou graduação em teatro no RJ pela faculdade CAL em 2017 e atualmente estuda pós em linguagem cinematográfica na Candido Mendes. Porto-alegrense, estudou com os mestres da cidade, como Zé Zé Adão Barbosa, Daniela Carmona, Adriano Basegio e Luís Paulo Vasconcellos. Aperfeiçoou-se em oficinas com Grace Passô (SP), Sérgio Penna, Álamo Facó, Ana Kfouri (RJ), Andreas Simmas (Paris), Tagen Larsen (Itália), entre tantos outros. Integrou a vai!ciadeteatro, que ajudou a fundar em 2008, protagonizando os espetáculos Agora Eu Era (2009), Cara a Tapa (2011) e o solo infantil BOBO (2018), com direção de João Pedro Madureira. Na companhia, dirigiu o projeto Sincronário (2013), explorando a linguagem de performance. É preparador de atores, utilizando os métodos de Grotowsky, Artaud e Arthur Lessac para trabalhos em cinema e televisão. Fez pesquisas individuais nessa área performática, tendo como resultado as performances Synkronos (2011), orientada por João Pedro Madureira, e Yes We Can (2012). Recentemente realizou sua última performance em Porto Alegre, no início da pandemia, intitulada @viasacracovid19. Nos últimos anos também esteve em dois espetáculos em circuito: Zumzumzum, musical infantil dirigido por João Pedro Madureira, e MedeaMaterial, inspirado na obra do dramaturgo alemão Heiner Müller e dirigido por Alexandre Dill. Com indicações a importantes prêmios e premiado em alguns, transita entre as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, onde realiza trabalhos de preparação de atores.

FICHA TÉCNICA
Inspirado no texto homônimo de Márcia Tiburi e Rubens Casara
Atuação: Vinícius Meneguzzi
Direção: Alexandre Dill
Dramaturgia e audiovisual: Gabriel Pontes
Trilha sonora: Ian Ramil
Orientação corporal: Natália Karam
Direção de movimento: Guilherme Conrad
Produção executiva: Sofia Ferreira
Assistência de produção: Jeferson Silva
Técnico de luz: Lucca Simas

Técnico audiovisual: Henrique Strieder

SERVIÇO
Um fascista no divã
Estreia dia 11 de outubro, 20h
Temporada de 11 a 16 de outubro, 20h
Teatro Carlos Carvalho – Casa de Cultura Mário Quintana – 2º Andar
Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico de Porto Alegre

INGRESSOS:
Primeiro lote – R$30,00 na plataforma Apoia-se https://apoia.se/umfascistanodiva 

Apoio: Livraria Taverna, Barraco Cultural e Restaurante Liverpool
Realização: Grupo Jogo e Reina Produções

REDES DOS GRUPOS E ARTISTAS ASSOCIADOS:
Grupo Jogo: www.grupojogo.com.br
Reina Produções: www.reina.art.br 

Assessoria de Imprensa:
Bebê Baumgarten Comunicação

Fotos:
Henrique Strieder


Sobre o autor