Great White – Once Bitten (Um Metal por Dia)

Great White – Once Bitten

O Great White, apesar de ter despontado como uma das grandes promessas do Hard Rock e do Glam Metal, não conseguiu se manter por muito tempo no topo das paradas

Se a banda iniciou a sua carreira de forma tímida com os razoáveis “Great White” (1984) e “Shot in The Dark” (1986), foi a partir de “Once Bitten“, que chegou às lojas em 1987, que o quinteto de Los Angeles passou a chamar a atenção do público e da crítica especializada.

O terceiro trabalho de estúdio do grupo, que vendeu mais de um milhão de cópias nos Estados Unidos, foi impulsionado por dois singles, que entraram direto no top 10 da Billboard, e por outras canções que até hoje são incluídas nas famigeradas coletâneas. Produzido por Alan Nigel, que empresariava o Guns n’ Roses na época, “Once Bitten” é pesado, intenso e ainda incorpora algumas influências do blues, algo relativamente incomum para o estilo.

Jack Russell (vocal), Mark Kendall (guitarra), Lorne Black (baixo), Michael Lardie (teclado) e Audie Desbrow (bateria) estavam no ápice da sua forma e da sua criatividade quando formataram as nove faixas do material. Sem apostar todas as suas fichas em canções de apelo radiofônico, o Great White se distanciou um pouco dos seus pares por causa das suas composições extensas e trabalhadas.

O registro, que evidencia uma banda consciente do seu potencial comercial através de “Lady Red Light“, “Gonna Getcha“, “All Over Now” e “Fast Road“, também mostra um grupo que tentava construir o seu próprio caminho, com as imponentes e detalhadas “Rock Me” e “Mistreater“.

Com melodias grudentas e tendo Russell, Kendall e Lardie como uma base bastante sólida, o Great White ainda se manteria no estrelato com “Twice Shy” (1989), para depois sumir dos holofotes durante a década de 90. O grupo atualmente segue em atividade em duas versões diferentes – uma capitaneada por Russel (Jack Russel’s Great White) e a original liderada por Kendall.




Sobre o autor