Motörhead – No Sleep ‘til Hammersith (Um Metal por Dia)

Motörhead – No Sleep ‘til Hammersith

Considerado um dos melhores discos ao vivo da história do Heavy Metal, “No Sleep ‘Til Hammersith” chegou às lojas em 1981, celebrando o bom momento do Motorhead com o álbum “Ace of Spades”, lançado um ano antes

O registro, que foi gravado durante três shows que a banda realizou em Leeds e em Newcastle, alcançou o primeiro lugar das paradas britânicas, mostrando que Lemmy Kilmster, Eddie Clarke e Philthy Taylor viviam mesmo uma fase memorável.

Com uma produção crua, mas que teve o mérito de evidenciar a performance visceral do Motörhead em cima do palco, “No Sleep ‘til Hammersmith” destaca muito bem o espírito punk do grupo, assim como a imponência natural das suas canções, quase sempre diretas e aceleradas. Os flertes com os blues (vide “Iron Horse/born to Lose”) e agressividade de Lemmy ao microfone são outros dois elementos que contribuem bastante para o resultado final extremamente satisfatório do disco, que já ganhou uma série de relançamentos e uma porção de material bônus.

Diante das melhores composições dos quatro primeiros álbuns do Motörhead, nenhum headbanger consegue ficar inerte à execução de clássicos do tamanho de “Ace of Spades”, “Stay Clean”, “Metropolis”, “Overkill”, “(we Are) the Road Crew”, “Bomber”, “Motorhead” e “Shoot You in The Back”, entre outras mais.

No Sleep ‘til Hammersmith”, além de ser um registro que extravasa muita energia, saiu no momento certo, exatamente quando a banda experimentava um pouco da fama e do prestígio que só os maiores nomes do rock tinham na época, como o Black Sabbath e o Deep Purple.




Sobre o autor