Night – High Tides Distant Skies (Um Metal por Dia)

Night – High Tides Distant Skies

Na ‪estrada desde 2011‬, o Night soltou em 2020 o seu quarto trabalho de estúdio, intitulado “High Tides – Distant Skies”

O grupo sueco, que executa um Hard Rock cheio de referências da década de 70, chama a atenção por conta da sua sonoridade vintage, que muito lembra bandas como Thin Lizzy, Blue Oyster Cult e outros nomes mais recentes, como o The Hellacopters.

Com melodias envolventes e algumas levadas cheias de suingue, o quarteto se juntou ao jovem produtor Ola Ersfjord para construir um repertório relativamente direto e diversificado, que se desdobra em faixas enérgicas e outras mais obscuras, com passagens arrastadas que beiram o Stoner.

Lançado no brasil pela Hellion Records, “High Tides – Distant Skies” é um registro que, apesar da sua abordagem orgânica, evidencia um nível de sofisticação muito acima da média, que deixa claro que a banda está no caminho certo e que merece mais dos que os 3 mil ouvintes mensais que tem atualmente no Spotify. Dos detalhes no piano às passagens acústicas, são os vocais divididos pelos guitarristas Oskar Andersson e Sammy Ouirra que tornam a música do Night ainda mais dinâmica.

Sempre com a intensidade correta, os melhores momentos do álbum ficam por conta das faixas “Shadow Gold”, “Burning Sky”, “Falling in The Black”, “Here on My Own”, “Give Me to The Night” e “Under the Moonlight Sky”.

Com um certo apelo radiofônico e muita vontade de trilhar o seu próprio caminho em meio ao boom de grupos que seguem mais ou menos a mesma proposta, o Night aos poucos vai conquistando o seu espaço, mesmo que demore um tempo até atingir o mesmo status de alguns “rivais”, como o Kadavar e o Graveyard.




Sobre o autor