Hallows Eve – Tales Of Terror (Um Metal por Dia)

Hallows Eve – Tales Of Terror

O Hallows Eve, um dos nomes mais emblemáticos do Thrash e do Speed Metal norte-americano, teve uma carreira de pouca repercussão, limitada ao universo underground

O grupo, que chegou a assinar um contrato com a Metal Blade Records, lançou o seu debut, intitulado “Tales of Terror”, em 1985.

Stacy Andersen (vocal), David Stuart e Steve Shoemaker (guitarras), Tommy Stewart (baixo) e Ronny Appoldt (bateria), que já tocavam há algum tempo juntos, precisaram de apenas duas semanas dentro do Axis Studios, em Atlanta, para dar vida às oito faixas da sua obra de estreia.

Com uma sonoridade rústica e uma produção bem orgânica assinada pela própria banda, “Tales of Terror” é um registro que evidencia um grupo que queria executar um Heavy Metal rápido e agressivo, dando um enfoque àquilo que a música pesada pode ter de mais vibrante. Sem prezar tanto pela técnica, o quinteto formatou aqui oito composições aceleradas, que somam apenas 28 minutos de duração. Os riffs sujos e enérgicos, as melodias que às vezes aproximam o Hallows Eve da N.W.O.B.H.M., os flertes com o hardcore e a performance ríspida de Andersen ao microfone são as principais características do álbum, que adquiriu o status de clássico ao longo o tempo, o que é frequentemente reafirmado através de relançamentos – só no Brasil, por exemplo, “Tales of Terror” chegou às lojas, de 1987 a 2011, em três versões diferentes.

Plunging to Megadeath”, “Outer Limits”, “The Mansion” (cujos riffs iniciais lembram demais o Iron Maiden da fase “Killers”), “Metal Merchants” e “Hallow’s Eve” são os melhores momentos do álbum, que ainda precisa ser melhor descoberto pelos headbangers nas plataformas de streaming.

Com apenas oito mil ouvintes mensais no Spotify, o Hallow’s Eve é altamente indicado para os saudosistas de plantão e para aqueles que o heavy metal old school ainda faz os olhos brilharem.




Sobre o autor