Sabaton – Carolus Rex (Um Metal por Dia)

Bring Me The Horizon – Post Human: Survival Horror

O Sabaton, que iniciou a sua trajetória em 2005, não precisou de muito tempo para ingressar no primeiro pelotão do Power Metal mundial

O grupo, que se tornou conhecido por abordar a temática das grandes guerras nas suas letras, lançou em 2012 um dos álbuns mais interessantes do estilo. O conceitual “Carolus Rex“, que trata da ascensão e da queda do rei Carlos XII da Suécia, fez um sucesso tremendo e levou a banda a excursionar por todo o planeta.

Produzido por Peter Tagtgren, do Hypocrisy, o disco demorou cerca de quatro meses para ficar pronto. As suas 12 canções, compostas inteiramente pelo vocalista Joakim Brodén e pelo baixista Pär Sundström, são todas rápidas e pesadas, com refrãos pegajosos e elementos orquestrais.

Bastante direto, “Carolus Rex” é animado e evidencia um grupo já consciente da sua representatividade para o metal escandinavo e que não mediu esforços – criativos ou financeiros – para elaborar uma obra grandiosa e impactante. O Sabaton, que não explora somente o viés melódico do Power Metal, ainda deu um toque bastante pessoal a “Carolus Rex”, utilizando uma abordagem rítmica mais vistosa e aproveitando a voz grave de Brodén numa perspectiva diferente. Apesar dessas particularidades, todos os clichês do gênero estão presentes aqui, fazendo do disco algo que pode agradar todos os públicos, sem distinção.

Sem tirar o pé do acelerador, “The Lion from The North“, “1648“, a própria “Carolus Rex“, “Killing Ground” e “Twlight of The Thunder God” (um inusitado cover do Amon Amarth) são os principais destaques do material, que vendeu mais de 40 mil cópias na sua semana de lançamento e foi considerado “o mais exitoso disco de Heavy Metal da Suécia de todos os tempos“.

Carolus Rex” é, sem dúvida, o item número um para quem quer conhecer o Sabaton mais a fundo.




Sobre o autor