Magna Carta Cartel – Goodmorning Restrained (Um Metal por Dia)

Magna Carta Cartel – Goodmorning Restrained

Com uma sonoridade psicodélica e progressiva, o Magna Carta Cartel é uma daquelas bandas que deve agradar os fervorosos fãs do Pink Floyd

O grupo sueco, que iniciou a suas atividades em 2006 e chegou a contar com Tobias Forge até meados da década passada, soltou em 2009 o seu primeiro trabalho de estúdio, intitulado “Goodmorning Restrained”.

O registro, que circulou somente pela Escandinávia, mostra como a banda sempre esteve na vanguarda do estilo ao criar uma sonoridade complexa, que aproxima melodias rebuscadas de um direcionamento mais radiofônico e acessível.

De faixas instrumentais que poderiam integrar a trilha sonora de um filme a canções concebidas em torno da performance delicada dos guitarristas Martin Persner (que integrou o Ghost por quase uma década) e Simon Söderberg ao microfone, o Magna Carta Cartel deu ao seu debut um direcionamento melancólico e contemplativo, sendo executado com muita técnica e maturidade.

Privilegiando aquilo que o rock progressivo tem de mais denso e atmosférico, o quinteto deixa os riffs pesados em segundo plano para dar ao seu álbum de estreia uma vibe mais emotiva e contemplativa. “Goodmorning Restrained”, que foi muitíssimo bem produzido por Söderberg, tem como destaque as canções “That It’s Already Too Late to Leave”, “This Time” (impossível não visualizar uma reencarnação moderna do Pink Floyd aqui), “Attending Midnight Screen”, “Metropolis Flow”, “Dollhouse Decoration” e “Hotellus Eviction”.

Altamente indicado para quem curte a proposta distinta de grupos como o God is an Astronaut (que já passou pelo Um Metal Por Dia uma vez), o Magna Carta Cartel também é uma interessante fonte de pesquisa para aqueles que sempre quiseram saber o que Forge (aqui um guitarrista/baixista) fazia antes de ser tornar conhecido mundialmente com o Ghost.




Sobre o autor