Asphyx – Necroceros (Um Metal por Dia)

Asphyx – Necroceros

Com mais de três décadas de história, o Asphyx é um dos grupos proeminentes do cenário Death Metal da Holanda

A banda, que incorpora algumas referências do Thrash e do Doom Metal, soltou em 2021 o seu 10º trabalho de estúdio, intitulado “Necroceros”. Muito bem-produzido pelo próprio grupo, o registro mantém a sonoridade agressiva e bem lapidada do quarteto, que foi se tornando ainda mais técnica, arrastada e sombria com o tempo.

Privilegiando os riffs encorpados, os andamentos cheio de Groove a performance desesperadora de Martin Van Drunen ao microfone, o Asphyx acertou ao dar uma abordagem bem contemporânea ao seu material, que se distancia daquela pegada old school para traçar o seu caminho dentro do gênero.

Mais denso e menos veloz que a maioria das obras tratadas como referência, “Necroceros” saiu no brasil pelo selo Dying Music e provavelmente estará em todas as listas dos melhores discos de metal extremo do ano, justamente por fugir do senso comum.

The Sole Cure Is Death”, “Molten Black Earth”, “Three Years of Famine” (talvez a canção mais arrastada e atmosférica de todo o disco), “Botox Implosion”, “Yeld or Die” e “Necroceros” são os principais momentos do álbum, que também impressiona pela complexidade das suas composições.

A banda, que preferiu apostar em algo bem elaborado em torno das suas texturas, abdicou daquele aspecto direto e puramente brutal do death metal, quebrando alguns paradigmas e mostrando que ainda é possível trazer um pouco de criatividade – para além das invencionices do post-metal – para a música pesada. “Necroceros” não é linear e tampouco cansativo.




Sobre o autor