Pain of Salvation – Remedy Lane (Um Metal por Dia)

Pain of Salvation – Remedy Lane

Basta dar uma olhada na discografia do Pain of Salvation para perceber que a banda é, tranquilamente, uma das mais criativas da música pesada contemporânea

O grupo sueco, que a cada álbum dá um novo e inesperado contorno ao seu metal progressivo, tem obras realmente sensacionais, como é o caso de “Remedy Lane“. O registro, que chegou às lojas em 2002 e foi distribuído no brasil pela Hellion Records, mostra uma complexidade e uma intensidade fora do habitual.

Gravado ao lado do produtor Anders Theander, o quarto disco do Pain of Salvation é conceitual e evidencia muito bem como Daniel Gildenlöw – além de um ótimo vocalista e guitarrista – é um compositor fora de série.

Remedy Lane” é brilhante ao intercalar momentos obscuros, andamentos melancólicos e algumas composições instrumentalmente animadas, numa sequência de 13 faixas bem lapidadas e organizadas. Recebido de maneira excepcional pela crítica especializada, que até hoje coloca o registro entre as maiores obras-primas do gênero, o álbum tem riffs consistentes, melodias envolventes e refrãos bem vistosos.

Com uma proposta mais dark, “Of Two Benginnings“, “Ending Theme” e “Second Love” são os principais destaques. “A Trace of Blood“, “Rope Ends“, “Chain Sling” e “Beyond the Pale“, já numa linha mais agressiva, também merecem a atenção. A instrumental “Dryad on The Woods“, por fim, complementa o disco da melhor maneira possível, comprovando que o Pain of Salvation não se limitou na hora de buscar inspiração.

Repleto de detalhes e executado de forma brilhante, “Remedy Lane” é um divisor de águas para o quinteto e uma obra que todo headbanger que se preze precisa conhecer.




Sobre o autor