Chaosfear – Be The Light In Dark Days (Um Metal por Dia)

Chaosfear – Be The Light In Dark Days

O Chaosfear, um dos grupos que melhor representa o Heavy Metal contemporâneo nacional, lançou no ano passado o seu terceiro trabalho de estúdio

Be the Light in Dark Days”, disponibilizado nas plataformas de streaming de forma totalmente independente, condensa referências do Thrash Metal e do Doom Metal. Fernando Boccomino (vocal e guitarra), Eduardo Boccomino (baixo), Marco Nunes (baixo e teclado) e Fabio Moyses (bateria) criaram aqui sete composições muito bem trabalhadas, que alternam momentos de agressividade e de melancolia, através de riffs agressivos, andamentos arrastados e de uma performance extremamente versátil de Fernando ao microfone, que vai da brutalidade do Death Metal às pretensões mais obscuras do Gothic Metal com uma enorme facilidade.

Be the Light in The Dark”, também excepcionalmente produzido por nunes e masterizado pelo renomado Paulo Anhaia, é um registro consistente, imprevisível e que impressiona pela sua vibe moderna e pela disposição da banda não se apegar aos rótulos já existentes.

Com uma abordagem diferenciada e muita criatividade, o Chaosfear gravou aqui um dos melhores discos de 2020, cujo único defeito é durar apenas meia hora. “Be the Light in Dark Days”, “The Hand that Wrecks the World”, “Cold”, “The Alliance” e “A New Life Ahead” são os melhores momentos do material, que ainda é marcado pelas suas quebras de ritmo, pela sua diversidade de melodias (quase sempre intensas) e pela sua complexidade, ao mesmo tempo em que investe as suas fichas em canções diretas, que variam entre três e seis minutos.

Com um trabalho dinâmico e surpreendente, o Chaosfear segue escrevendo o seu nome na história da música pesada nacional. “Be the Light in The Dark” é robusto e envolvente.




Sobre o autor