Almah – Fragile Equality (Um Metal por Dia)

Almah – Fragile Equality

Mesmo ainda no Angra, Edu Falaschi deu início ao Almah. O projeto paralelo, que em pouco tempo se tornaria a banda solo do vocalista, lançou em 2008 o seu segundo trabalho de estúdio, intitulado “Fragile Equality”

Explorando uma sonoridade surpreendentemente pesada, o registro conseguiu se afastar de qualquer comparação com “Rebirth” (2000) e “Aurora Consurgens” (2006) ao absorver diversas influências do metal progressivo.

Ao lado de Marcelo Barbosa e Paulo Schroeber (guitarras), Felipe Andreoli (baixo) e Marcelo Moreira (bateria), Edu Falaschi criou aqui um repertório de bastante força, com dez canções diversificadas que chamam a atenção principalmente por conta das suas linhas de guitarra encorpadas, dos seus solos caprichados, das suas batidas velozes e dos seus refrões grandiosos/pegajosos.

Distribuído na Europa pela AFM Records, “Fragile Equality” ainda chegou ao mercado japonês, sendo recebido por lá com um honroso lugar no top 200 das paradas nipônicas. com uma dinâmica bem interessante, em que as faixas agressivas do material são intercaladas com as composições mais complexas, o registro também conta com aquelas baladas que sempre foram um trunfo na carreira do cantor, como “All I Am” e “Shade of My Soul”.

Já entre os destaques da obra, impossível não mencionar as vibrantes “Birds of Prey”, “Beyond Tomorrow” (o refrão aqui é maravilhoso), “You’ll Understand”, “Invisible Cage”, “Fragile Equality” e “Meaningless World”, que certamente ajudaram a consolidar o nome de Falaschi para além do Angra.

Com uma pegada impressionante e uma riqueza de detalhes que ampliou o Power Metal executado pelo Almah, “Fragile Equality” é, tranquilamente, um dos melhores álbuns do metal nacional dos anos 2000. O disco, assim como os demais registros do grupo, foram relançados há poucas semanas pela Shinigami Records no Brasil.




Sobre o autor