Tiamat – The Scarred People (Um Metal por Dia)

Tiamat – The Scarred People

Rompendo definitivamente com o seu passado vinculado à cena Black Metal, o Tiamat foi moldando a sua sonoridade ao longo das últimas décadas

O grupo sueco, liderado pelo vocalista e guitarrista Johan Edlund, conseguiu lançar um dos seus melhores discos em 2012, após dividir a opinião do público e da crítica especializada com “Amanethes” (2008) e “Prey” (2003).

Cada vez mais imersa no Gothic Metal e incorporando diversos elementos da música eletrônica, a banda deu a “The Scarred People” uma faceta bastante particular. as melodias densas e melancólicas, os riffs furiosos, a abordagem experimental, as ambientações atmosféricas e a influência do rock progressivo à lá Pink Floyd são algumas das características do material, que tem um repertório diversificado e imprevisível, que tenta retomar e misturar tudo aquilo que já foi criado anteriormente.

The Scarred Peopole”, por causa da sua complexidade instrumental, demanda bastante atenção do ouvinte e precisa ser digerido aos poucos. O Tiamat, com a ousadia de sempre e investindo as suas fichas nos contrastes rítmicos, não impôs barreiras à sua criatividade e deu ao seu 10º trabalho de estúdio uma amplitude impressionante, de uma forma bastante coesa e bem pensada.

The Scarred People”, “Winter Dawn”, “384”, “Radiant Star”, “The Sun Also Rises”, “Messinian Letter” e “Thunder & Lightning” são os melhores momentos do álbum, que chegou às plataformas streaming com cinco faixas bônus, entre elas as improváveis (e excepcionais) releituras de “Born to Die” (Lana Del Rey) e “Paradise” (Bruce Springsteen).

Na vanguarda do Heavy Metal oitentista e importante por abrir os caminhos trilhados pelo Post-Metal, o Tiamat ainda não teve todo o reconhecimento que merece, mas certamente já cumpriu o seu papel transgressor dentro da música pesada.




Sobre o autor