At The Gates – The Nightmare of Being (Um Metal por Dia)

At The Gates – The Nightmare of Being

Se o At The Gates escreveu o seu nome na história da música pesada com o imprescindível “Slaughter of the Soul” (1995), o quinteto sueco continua até hoje com uma carreira extremamente consistente, dentro do Death Metal melódico

O sétimo trabalho de estúdio do grupo, intitulado “The Nightmare of Being”, chegou às plataformas de streaming no segundo semestre de 2021, mostrando que a banda segue apostando numa sonoridade rebuscada e bastante contemporânea, ao mesmo tempo que não esquece da agressividade e daquela aura melancólica, típica do estilo.

Com destaque para a performance do vocalista Tomas Lindberg e para a dupla de guitarristas Martin Larsson e Jonas Stalhammar, o At The Gates se juntou ao produtor Jens Bogren para dar vida às dez faixas do material, que mantém a sua intensidade sempre lá no alto.

O disco, que é encorpado e recheado com momentos de puro groove, também chama a atenção por fazer um interessante contraponto entre algumas canções mais complexas e outras mais raivosas.

Absorvendo algumas nuances do Thrash Metal e do Metal Progressivo, o grupo se coloca definitivamente na vanguarda do estilo com “The Nightmare Being”, que ainda conta com as participações especiais do guitarrista Andy Larocque (King Diamond) e o saxofonista Anders Gabrielsson.

Quebrando aos padrões e traçando um caminho próprio com bastante personalidade, a complexa “Spectre of Extinction”, a arrastada faixa-título, a progressiva “Garden of Cyrus” a épica “The Fall Into Time” e a agressiva “The Abstract Enthroned” são os principais destaques do repertório, que se mostra amplo e imprevisível.

O At The Gates se superou mais uma vez, fazendo de “The Nightmare Being” um disco completo e que não se apega em uma única fórmula.




Sobre o autor