Rainbow – Long Live Rock’n’Roll (Um Metal por Dia)

Rainbow – Long Live Rock’n’Roll

Insatisfeito com os rumos que o Deep Purple estava tomando, Ritchie Blackmore abandonou a banda (pela primeira vez) em 1975, para trilhar novos caminhos.

Deixando de lado o rock progressivo para adotar uma linha mais próxima do hard rock e do heavy metal tradicional, o guitarrista conseguiu transformar o Rainbow em um case de sucesso, com discos que se tornaram clássicos e músicas que marcaram várias gerações.

O terceiro trabalho de estúdio do grupo, “Long Live Rock’n’Roll“, talvez seja o melhor exemplo disso. O registro, produzido pelo saudoso Martin Birch e lançado em 1978, tem alguns dos maiores hits do Rainbow, que muitos headbangers já escutaram pelo menos uma vez na vida.

Reformulado em torno de Ritchie Blackmore e do vocalista Ronnie James Dio, a banda contava naquela época com o baixista Bob Daisley e com o baterista Cozy Powell, dois instrumentistas já experientes e acostumados a encarar desafios.

Disponível na sua versão remasterizada cheia de material extra no Spotify, a edição original de “Long Live Rock’n’Roll” conta com oito composições e cerca de cerca de 40 minutos de duração.

Com um repertório direto, sofisticado e pesado ao mesmo tempo, as melodias pegajosas, os refrãos envolventes, os solos incríveis e a performance visceral de Ronnie James Dio ao microfone são as características mais marcantes de um disco que tem o seu lugar garantido na história da música pesada.

Guardando algumas excentricidades, como o fato de ter sido gravado na França, no chiquérrimo Château D’Hérouville (cuja pintura interna foi feita por Van Gogh), os melhores momentos do álbum ficam por conta da sua faixa-título (disparada a mais impactante), “Lady Of The Lake“, “La Connection“, “Gates Of Babylon“, “Kill The King” e “Sensitive To Light“.

Uma obra memorável, que já tem mais de 40 anos de vida.





Sobre o autor