Premiado musical A Cor Púrpura ganha curta temporada em Porto Alegre

Sucesso de público e crítica, a montagem com versão brasileira de Artur Xexéo e direção de Tadeu Aguiar estreia na capital gaúcha com sessões de 29 de abril a 1º de maio no Teatro do Sesi

Apresentado pelo Ministério do Turismo e pela Bradesco Seguros e com patrocínio da EletrobrasA Cor Púrpura, O Musical já tem datas confirmadas em Porto Alegre.

Sucesso de público e crítica em diversas cidades do país, o espetáculo com versão brasileira do jornalista Artur Xexéo (1951-2021) e direção de Tadeu Aguiar estreou em 2019, fazendo temporadas no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, e retomou sua turnê no começo deste ano, após longa pausa causada pela pandemia.

Na capital gaúcha, a montagem terá curta temporada de 29 de abril a 1º de maio, no Teatro do Sesi. Os ingressos estão à venda pela plataforma Sympla.

A montagem chega à cidade carregando na bagagem as 97 indicações e os 75 prêmios conquistados até agora e com grande estrutura, que inclui 18 atores em cena, 90 figurinos, um palco giratório de 6 metros de diâmetro e uma escada curva com sistema de traveling em volta do cenário. Inspirada no livro homônimo de 1982 que consagrou Alice Walker como a primeira escritora negra a ganhar o Pulitzer, a obra – que também foi adaptada para o cinema em 1985, com direção de Steven Spielberg e 11 indicações ao Oscar – retrata relações humanas de amor, poder e ódio, em um mundo pontuado por estruturais diferenças econômicas, sociais, étnicas e de gênero.

Escrito há mais de 35 anos e vencedor dos prêmios Pulitzer, Grammy e Tony, A Cor Púrpura, O Musical se passa na primeira metade do século XX, na zona rural do Sul dos Estados Unidos, com personagens típicos dessa região. A obra tem texto de Marsha Norman e músicas de Brenda RussellAllee Willis e Stephen Bray.

Em sua versão brasileira, é estrelado por Letícia Soares, que recebeu uma indicação ao Prêmio Shell pelo papel de Celie, o mesmo que rendeu a Whoopi Goldberg sua primeira indicação ao Oscar de melhor atriz no filme. Na adolescência, Celie tem dois filhos de seu suposto pai (Jorge Maya), que a oferece a um fazendeiro local para criar seus herdeiros, entre eles Harpo (Alan Rocha), além de lavar, passar e trabalhar sem remuneração. Ela é tirada à força do convívio de sua irmã caçula Nettie (Merícia Cassiano) e passa a morar com o marido Mister (Sergio Menezes). Enquanto Celie resigna-se ao sofrimento, Sofia (Erika Affonso) e Shug (Flavia Santana) entram em cena, mostrando que há possibilidade de mudanças, novas perspectivas, esperança e até prazer. A saga da personagem é permeada por questões sociais de extrema relevância, como a desigualdade, abuso de poder, racismo, machismo, sexismo e a violência contra a mulher.

Nesta retomada teatral, o elenco, na sua maioria escolhido por testes, permanece praticamente o mesmo. Completam o casting Larissa Noé (Gralha); Suzana Santana (Jarene); Hannah Lima (Doris); Cláudia Noemi (Darlene); Caio Giovani (Grady); Leandro Vieira (Buster); Gabriel Vicente (Bobby); Thór Junior (Pastor); André Sigom (Soldado); Nadjane Pierre (Solista da igreja) e Leo Araújo (Emsemble).

SOBRE O CIRCUITO CULTURAL BRADESCO SEGUROS
Manter uma política de incentivo à cultura faz parte do compromisso do Grupo Bradesco Seguros considerando a cultura como ativo para o desenvolvimento dos capitais do conhecimento e do convívio social. Nesse sentido, o Circuito Cultural Bradesco Seguros se orgulha de ter patrocinado e apoiado, nos últimos anos, em diversas regiões do Brasil, projetos nas áreas de música, dança, artes plásticas, teatro, literatura e exposições, além de outras manifestações artísticas. Dentre as atrações incentivadas destacam-se os musicais Bibi – Uma vida em musicalBem SertanejoLes Misérables70 – Década do Divino MaravilhosoCinderellaO Fantasma da ÓperaA Cor Púrpura e Conserto para Dois, além da Série Dell’Arte Concertos Internacionais e a exposição Mickey 90 Anos. Durante a pandemia de covid-19, grandes atrações do Circuito Cultural Bradesco Seguros migraram para o ambiente digital, em formato de lives. Espetáculos como SelfieTudo que Eu Queria te Dizer e Minimanual de Qualidade de Vida puderam ser conferidos no canal oficial da seguradora no YouTube. A expectativa é que outras manifestações artísticas façam parte desse novo modelo de levar arte e cultura ao público brasileiro.

PUBLICIDADE

SERVIÇO – PROGRAMAÇÃO PRESENCIAL – TEATRO
A Cor Púrpura, O Musical
De Marsha Norman, com músicas de Brenda Russell, Allee Willis e Stephen Bray, versão brasileira de Artur Xexéo e direção geral de Tadeu Aguiar
Dias 29 e 30 de abril e 1º de maio
Sexta e sábado, às 21h, e domingo, às 18h
Teatro do Sesi (Av. Assis Brasil, 8787 – Bairro Sarandi – Porto Alegre/RS)

Ingressos
Mezanino: R$ 75,00 inteira e R$ 37,50 meia-entrada
Plateia alta: R$ 120,00 inteira e R$ 60,00 meia-entrada
Plateia baixa: R$ 150,00 inteira e R$ 75,00 meia-entrada
À venda na plataforma Sympla: https://bileto.sympla.com.br/event/71702

Ficha técnica
Texto: Marsha Norman
Músicas: Brenda Russell, Allee Willis e Stephen Bray
Versão brasileira: Artur Xexéo
Direção geral: Tadeu Aguiar
Direção musical: Tony Lucchesi
Elenco: Letícia Soares, Sergio Menezes, Flávia Santana, Jorge Maya, Alan Rocha, Merícia Cassiano, Erika Affonso, Larissa Noé, Suzana Santana, Cláudia Noemi, Hannah Lima, Caio Giovani, André Sigom, Leo Araújo, Thór Jr, Gabriel Vicente, Leandro Vieira e Nadjane Rocha
Assistência de direção: Flávia Rinaldi
Produção de elenco: Marcela Altberg
Cenário: Natália Lana
Figurino: Ney Madeira e Dani Vidal
Desenho de luz: Rogério Wiltgen
Desenho de som: Gabriel D’Angelo
Coreografia: Sueli Guerra
Assistência de cenografia: Gisele Batalha
Assistência de coreografia: Olívia Vivone
Assistência de direção musical: Thalyson Rodrigues
Mídias sociais: Rafael Nogueira
Designer gráfico: Alexandre Furtado
Produção executiva: Edgard Jordão
Coordenação de produção: Norma Thiré
Produção geral: Eduardo Bakr

Informações para a imprensa:
Jéssica Barcellos Comunicação

Foto:
Cyntia Salles

PUBLICIDADE