Epica – The Holographic Principle (Um Metal por Dia)

Epica – The Holographic Principle

O Epica é, muito provavelmente, um dos dez nomes mais bem-sucedidos do heavy metal nos anos 2000.

Liderada pelo guitarrista Mark Jansen e pela vocalista Simone Simons, a banda holandesa lançou discos que foram elogiados pela crítica especializada e pelo público, excursionando pelo mundo inteiro em todas as suas turnês.

Embalado pelo sucesso de “The Quantum Enigma“, que chegou ao top 200 da Billboard e à quarta posição dos charts do seu país natal, o grupo soltou, em 2016, o seu sétimo trabalho de estúdio, chamado “The Holographic Principle“.

O registro, que mantém a proposta artística do Epica intacta, ficando em um meio termo entre o metal sinfônico e o power metal, acertou ao dar continuidade aos riffs extremamente pesados, algo incomum para os dois gêneros, e aos vocais guturais de Mark Jansen em vários momentos do seu repertório.

Trabalhando novamente em uma história conceitual, que mistura ficção científicia e tecnlogia, “The Holographic Principle” tem um conjunto consistente de 17 composições, em um álbum que pode ser dividido em duas partes.

Produzido por Joost Van Den Broek, ex-companheiro de Mark Jansen no After Forever, o disco investe numa sonoridade bastante cristalina, com uma escolha de timbres corretíssima.

Apesar de agregar vários elementos orquestrais e duas vozes bem díspares, “The Holographic Principle” é grandioso, mas extremamente agradável aos ouvidos, e evidencia a participação de todos os músicos no seu processo de criação, sobretudo de Simone Simons, Mark Jansen e de Isaac Delahaye, que (curiosamente) ficou responsável por gravar todas as linhas de guitarra.

Com uma boa intensidade rítmica e melodias robustas, “Edge Of The Blade“, “A Phantasmic Parade“, “Universal Death Squad“, “The Cosmic Algorithm” e a soberba “The Holographic Principle” são os principais destaques do material, todas com uma pegada agressiva, moderna e encorpada, assim como uma riqueza sinfônica simplesmente fora de série.

O álbum empolga, desde o primeiro minuto, e encerra com uma pergunta: o que virá pela frente na carreira do Epica?!





Sobre o autor