Um Metal por Dia – Thin Lizzy – Jailbreak

Thin Lizzy – Jailbreak

O Thin Lizzy é, entre as bandas de rock que despontaram na década de 70, uma daquelas que mais tiveram dificuldade de conquistar o seu espaço, sobretudo no circuito internacional.

O grupo irlandês, de muita representatividade no Reino Unido, só conseguiu se firmar no mercado norte-americano com o seu sexto de trabalho de estúdio, que vendeu mais de 500 mil cópias por lá.

Merecedor de todos os elogios possíveis, “Jailbreak” é, inclusive para muitas pessoas, o melhor item da discografia da banda. Gravado em apenas três meses no Ramport Studios, de propriedade do The Who, o álbum mostrou, de maneira bem transparente, a essência do quarteto de Dublin, que transitava com enorme facilidade entre o Hard Rock e o Blues.

Em pouco mais de meia hora, o vocalista e baixista Phil Lynnott é quem mais se destaca, seja pela sua performance de alto nível ou pela sua criatividade, já que é dele a autoria de todas as nove faixas do material.

Além de Phil Lynnott, a banda tinha outros três instrumentistas talentosíssimos, que muito contribuíram para o resultado final do disco – os guitarristas Scott Gorham e Brian Robertson e o baterista Brian Downey.

Atingindo a décima posição dos charts ingleses, é de “Jailbreak” que vem alguns dos maiores hits do grupo, como a faixa-título, a imponente “The Boys Are Back In Town“, a pesada “Emerald” e outras tantas canções de boa imposição, como “Angel From The Coast” e “Romeo And The Lonely Girl“.

Diversificado, executado com maestria e evidenciando um ambiente musicalmente eclético, esse é um disco que, dificilmente e injustamente, é encontrado naquelas listas dos melhores álbuns de Rock’n’Roll de todos os tempos.





Sobre o autor