Mercyful Fate – Time (Um Metal por Dia)

Mercyful Fate – Time

Figura principal do Mercyful Fate, o vocalista King Diamond não é uma unanimidade no mundo do Heavy Metal.

Com um estilo bastante próprio de interpretação, em que utiliza muitos falsetes, o cantor dinamarquês tem uma carreira de sucesso inquestionável, mas que divide opiniões.

Aqueles que não gostam dos seus agudos podem encontrar um pouco de alento em alguns dos trabalhos da sua banda principal, sobretudo entre aqueles que saíram após a sua reformulação, em 1992.

Time“, que chegou às lojas via Metal Blade Records dois anos depois, é um dos discos mais obscuros, densos e pesados de toda a trajetória do conjunto, que na época contava com os guitarristas Hank Shermann e Michael Denner, com o baixista Sharlee D’angelo e com o baterista Snowy Shaw.

Lançado no período em que o Grunge ditava os caminhos do rock nas rádios e na programação da MTV, o quarto álbum do Mercyful Fate surpreendeu os headbangers e pode ser colocado, tranquilamente, ao lado dos clássicos oitentistas “Melissa” e “Don’t Break The Oath“.

Gravado nos Estados Unidos com o produtor Tim Kansey, “Time” é um registro bastante agressivo, em que a crueza das guitarras dá o tom de todo o repertório.

Witches’ Dance” e “The Preacher“, ambas com toques mais melódicos e sofisticados, principalmente na hora do refrão, são as duas faixas principais do disco.

Além dessas, há outros bons momentos, como “Nightmare Be Thy Name“, “My Demon” (que chega a beirar o Thrash Metal) e “Lady In Black“. Diversificado como qualquer outro material que tem a assinatura de King Diamond, “Time” é o registro que soube retratar, talvez da melhor maneira em toda a carreira do Mercyful Fate, os principais atributos da sua sonoridade.

Altamente indicado para quem sempre teve um pé atrás com o vocalista e que gostaria de entrar aos poucos na sua obra.





Sobre o autor