Kreator – Violent Revolution (Um Metal por Dia)

Kreator – Violent Revolution

A relevância do Kreator para o Thrash Metal é incontestável, mas não dá para negar que a banda viveu um período de quase ostracismo, de 1992 a 1999.

O grupo, que foi um dos responsáveis por popularizar o gênero na alemanha, passou quase uma década perdido, transitando entre influências modernas e alternativas.

O uso de sintetizadores, por exemplo, não agradou os fãs dos clássicos “Pleasure To Kill” e “Extreme Aggression“. Mas foi depois do resultado nada satisfatório de “Endorama” que o Kreator passou por uma reformulação interna, mesmo que a entrada do guitarrista finlandês Sami Yli-Sirniö seja a única mudança no line-up em “Violent Revolution“, de 2001.

A nova proposta sonora adotada pela banda, principalmente em relação aos seus antecessores, é muito evidente. Pesado, rápido e melódico, o Thrash Metal do Kreator ganhou aqui outros contornos, numa forma de expressão que seria a marca registrada dos germânicos a partir daqui.

A produção cristalina evidenciou o lado técnico e o viés criativo do grupo, que começou a ser mais versátil em estúdio.

Reconquering The Throne“, “Violent Revolution“, “All Of The Same Blood“, “Servant In Heaven – King In Hell” são os grandes destaques da obra, que concentra as melhores músicas já na sua primeira metade.





Sobre o autor