Deep Purple – Stormbringer (Um Metal por Dia)

Deep Purple – Stormbringer

A discografia do Deep Purple é extensa e de grande valor para o Heavy Metal.

Se a banda gravou verdadeiros clássicos com a sua segunda formação, que incluía o vocalista Ian Gillan e o baixista Roger Glover, foi o line-up do MK-III, de vida curtíssima, que deixou álbuns sensacionais e que precisam ser melhor compreendidos pelos fãs.

A qualidade de “Burn” é inquestionável, acredito que muitas pessoas pensam assim, mas não dá para deixar “Stormbringer” de lado. O disco chegou às lojas em 1974 e levou a assinatura do lendário produtor Martin Birch, morto recentemente.

Com David Coverdale e Glenn Hughes assumindo a dianteira, o Deep Purple elaborou aqui um repertório progressivo, cheio de elementos do Hard Rock e com muita influência do Funk e do Blues.

Stormbringer” não é simples, como o sensacional “Machine Head“, mas mostra que a banda trabalhava unida dentro do estúdio, criando composições complexas, variadas e versáteis.

A faixa-título é, disparada, um dos melhores momentos do material, que tem ainda as canções “Love Don’t Mean A Thing“, “Lady Double Dealer” e “High Ball Shooter” como destaques. “You Can’t Do It Right“, com a cara do que Whitesnake iria fazer assim que David Coverdale deixasse o Deep Purple em 1976, e a balada “Holy Man“, em que Glenn Hughes dá um show à parte no vocal, também merecem atenção.

No spotify, você encontra “Stormbringer” em uma versão remasterizada, de 2009, cheia de faixas extras.

Come Taste The Band!





Sobre o autor