Macbeth – Vanitas (Um Metal por Dia)

Macbeth – Vanitas

O cenário Gothic Metal italiano não se resume apenas ao Lacuna Coil. Outras bandas surgiram no país e chegaram a ter seus discos lançados no Brasil, como é o caso do Macbeth.

Em atividade desde 1996, o grupo nasceu em Milão e tem uma sonoridade bastante crua, com algumas linhas de teclados e quase nenhum elemento sinfônico nas suas composições.

Vanitas“, de 2001, é o trabalho mais interessante da sua discografia, que está inteiramente disponível no Spotify, merecendo a atenção de quem admira o gênero e está em busca de novidades e/ou de bandas pouco conhecidas.

Misturando a voz de três cantores, indo do gutural ao limpo masculino e feminino, o Macbeth teve a inspiração e a competência para criar um repertório complexo, obscuro, melancólico e diversificado, mesmo explorando apenas referências instrumentais mais básicas.

Se os fãs do After Forever e do Tristania podem estranhar a simplicidade dos arranjos de “Crepuscolaria (Agony In Red Minor)” e “Fables“, é justamente a capacidade de tornar tudo mais direto que faz de “Vanitas” um álbum legal, que não se arrasta do início ao fim, sempre no mesmo tom.

Além das duas faixas citadas, “El Diablo Y La Luna” também aparece muito bem. uma pena só que o disco, até por inexperiência dos caras na época (era apenas o segundo trabalho deles em estúdio), poderia ter tido uma produção mais refinada, da escolha dos timbres à parte gráfica.





Sobre o autor