Está no Ar “O Bicho tá Pegando”, o primeiro disco solo de Billy Brandão

Um disco instrumental e autoral gravado ao vivo em estúdio por uma seleção de músicos do primeiro time da música brasileira

O bicho tá pegando….. é um título apropriado. Em pouco mais de quatro minutos e meio, ela já indica a convivência entre fúria e lirismo que marca o álbum inteiro. O suingue, os belos temas destacados pelos sopros, a “trocação” entre baixo e bateria (e trombone!) e, claro, em se tratando do álbum solo de um guitarrista, a busca por sons diferentes no instrumento.

…Sua guitarra muda de voz no correr do álbum, conforme a música pende para o blues (Pé de chumbo), o folk (Invisível costura) ou até o industrial (a vinheta Bends, uma das duas únicas faixas sem metais de O bicho tá pegando).

PUBLICIDADE

O bicho tá pegando é apenas o primeiro de três planejados volumes nos quais Billy Brandão reunirá obras inéditas escritas enquanto sua guitarra estava a serviço de outrem.

A opção por começar por um álbum de jazz rock também contempla a familiaridade da maior parte do público com seu trabalho como sideman. Virão ainda um álbum com as composições mais folk e outro com as composições pop-rock cantadas.

O bicho tá pegando é uma obra autossuficiente, bem pensada, madura. Entre mesuras ao ídolo Jeff Beck, a Frank Zappa, Santana, Chick Corea, Hermeto Pascoal, Billy Brandão e seus parceiros nos oferecem dez trilhas sonoras sintéticas para infinitas viagens mentais.

PUBLICIDADE

Ora elas são mais alegres, ora mais contemplativas, mas sempre inspiradoras. Pode ser a levada jazzy no coração de Silente, na qual a guitarra se transmuta em violino elétrico, pode ser a lindíssima evocação de amor e desolação em Se ela quiser, na qual o trompete sola e os metais me põem para pensar em I got the blues, dos Rolling Stones. É só uma referência pessoal, certo, mas diz muito das belezas e abismos de técnica e sentimento que aguardam qualquer ouvinte de O bicho tá pegando.

Texto:
Arthur Dapieve

Fotos:
Carlos Pachá, Raphael Hollanda,

PUBLICIDADE



Também será lançado, no dia 22/09 às 22h, um documentário que traz todos os bastidores da criação do álbum “O bicho tá pegando”, além de muito material extra falando de todo processo de criação, ensaios, entrevistas com músicos e técnicos .

A estréia será na quarta-feira, dia 22/09 às 22h, no canal Music Box de TV por assinatura (reprisando na manhã do dia 23/09 às 11h e depois em horários alternativos pela programação) e para assinantes através da plataforma Box Brazil Play.


SOBRE O ARTISTA

PUBLICIDADE

Com mais de 30 anos de carreira, Billy Brandão é compositor, guitarrista e multi-instrumentista carioca, tendo participado de projetos como sideman de grandes nomes da música brasileira. Referência nas seis cordas como um músico que transita em vários estilos além de deixar sempre sua marca registrada na escolha de timbres e efeitos, já tocou com nomes como FrejatErasmo CarlosMarisa MontePaulinho MoskaOrlando Morais, Ana Carolina e Lobão.

É também produtor e compositor, com parcerias de sucesso com Lobão, Cris Braun (cujos álbuns “Atemporal” e “Fábula” ele também produziu) e Paulinho Moska, que aliás musicou sua letra de maior sucesso “O Último Dia”. Essa canção acabou inspirando – 20 anos mais tarde – o enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel em 2015, concebido pelo premiado carnavalesco Paulo Barros.

A partir de 2017, começa o processo de ensaios e posterior gravação e mixagem de seu primeiro álbum autoral como artista, o disco instrumental “O Bicho tá Pegando”.

PUBLICIDADE



CRÉDITOS DO DISCO:

Bateria: Lourenço Monteiro
Baixo: Alexandre “Katatau”
Percussão: Eduardo Lyra
Trombone: Marlon Sette
Trumpete: Diogo Gomes
Sax Tenor: Zé Carlos “Bigorna”
Pedal Steel: Guilherme Schwab (faixas 9 e 10)

Produzido e composto por Billy Brandão (exceto “She’s Leaving Home” Lennon/McCartney)
Arranjos Billy Brandão com a colaboração dos músicos envolvidos
Gravado nos estúdios DuBrou por Renato Muñoz & no Lab Tostoi por Jr. Tostoi e Mixado no estúdio DuBrou
Mixado por Renato Muñoz e Billy Brandão no estúdio “Du Brou” exceto as faixas “Par ou Impar” por Rodrigo Lopes e Billy Brandão e “She’s Leaving Home” por Rodrigo Duarte e Billy Brandão
* Par ou Impar gravada por Rodrigo Lopes
** She’s Leaving Home gravada por Rodrigo Duarte
Billy Brandão usa Cordas Elixir e guitarras N.Zaganin
Diogo Gomes usa in ear Land Audio
Capa: Mirella Migliari
Foto da capa: Arquivo pessoal Billy Brandão

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE