ZéVitor, tem 21 anos, compõe desde a adolescência e busca integrar sua personalidade musical aos diferentes estilos de sua geração. Na música, investe numa pegada pop com acento forte na rima. Traz influências da MPB e uma rica inspiração do universo popular. De uma perspectiva que só um artista destes tempos poderia ter, o amor cantado por ZéVitor é fruto daquele sonhado pela geração dos anos 1960: livre. Tema chave de muitas das suas composições e bandeira maior de sua personalidade artística, este amor que renasce agora, mais natural e consistente, só consegue vir à luz em função de outra forte presença em sua carreira: o respeito à diferença.

De estilo autêntico, o cantor e compositor é daquelas pessoas que se deixa encantar pelo universo que permeou sua trajetória de vida. Filho do ator Jackson Antunes e da atriz Cristiana Britto, carrega na essência as belezas da natureza, que ainda são presentes desde a infância no sítio em Guapimirim/RJ, e as transforma na mais pura arte musical. Acredita que zelar pelo planeta não é favor, é obrigação.

No dia 22 de outubro, terça-feira, ZéVitor fará parte das jam sessions durante a Festa Nacional da Música, que ocorre no Hotel Dall’Onder, em Bento Gonçalves, ZéVitor vai cantar: Se eu disser e a inédita Menina. Seu mais recente lançamento nas plataformas digitais foi Versos Ardentes, uma releitura da música de Fagner de 2014, e que o cantor de longa estrada fez questão de realizar este dueto.

Crédito: Divulgação ZéVitor

O mais recente projeto: “Encontro de Gerações”

Num dueto com Fagner, ZéVitor mostra que clássicos podem ser uma grande novidade.

Crédito: Gabriel Garcia

Um ano e alguns singles autorais depois de sua estreia com o álbum Cronológico, o cantor carioca ZéVitor começou a flertar com a possibilidade de gravar os compositores que sempre admirou. Mas foi o próprio Fagner que, ao saber que o filho de seu amigo Jackson Antunes pretendia fazer a releitura de alguma de canção sua, sugeriu Versos Ardentes, gravada por ele no disco “Pássaros Urbanos”, de 2014.

O dueto que reúne ZéVitor e Fagner foi, recentemente, lançado (27 de setembro de 2019) nos aplicativos de música. Versos Ardentes também sai com clipe no YouTube, que mostra os bastidores da gravação do single. Parceria de Fagner com o poeta Fausto Nilo, poderíamos até transpor um trecho da letra, que acaba por narrar de forma sublime esse encontro de gerações: “As mais belas ruínas da memória/Serão rimas de nossas futuras catedrais”.

“Estou feliz demais com a oportunidade de gravar
com um artista como o Fagner, generoso,
que ouviu minhas composições e sugeriu uma canção que
tem a ver comigo, com o que eu gosto de cantar.
É um momento muito importante pra mim”, comenta ZéVitor.

Produzido por Clemente Magalhães, o dueto ainda conta com o auxílio luxuoso de Cláudio Bezz (violão), Iuri Nascimento (guitarra), Guila (baixo) e Adal Fonseca (bateria).

ZéVitor e Raimundo Fagner | Versos Ardentes | single
Composição: Fausto Nilo e Raimundo Fagner
Músicos: Cláudio Bezz: violão I Iuri Nascimento: guitarra I Guila: baixo I Adal Fonseca: bateria
Produção Musical: Clemente Magalhães
Mix: Renato Alscher I Master: Carlos Freitas I Gravação: Corredor 5
Produção Executiva: Cristiana Britto
Clipe: Câmeras: Jéssica Andrade e Marcelo Nejm I Edição: Gabriel Garcia
Assessoria de imprensa nacional: Adriana Bueno
Para ouvir nas plataformas digitais: https://open.spotify.com/artist/1WNEynd3mjWx1DZByqbLq4
Para assistir o clipe: https://www.youtube.com/watch?v=icvLBdqgLvQ

ZéVitor fala de amor e posse no single ‘Se eu disser’

Cerca de um ano após sua estreia com o álbum Cronológico, ZéVitor lança o single Se eu disser, produzido por Clemente Magalhães. Em seu novo trabalho, o cantor e compositor carioca quer compartilhar um pouco mais sobre o universo de suas composições.

Se eu disser chegou nas plataformas de streaming e também com clipe no YouTube, em 04 de junho de 2019. Gravado no Rio de Janeiro, o clipe tem argumento de Roberto Porciúncula, direção de Gabriel Garcia e Cristiana Britto e conta com a participação de diversas pessoas dando seus depoimentos sobre o amor e entre eles, o ator e cantador Jackson Antunes, pai de ZéVitor. O amor não é posse, tema do primeiro single, é abordado com a leveza e amor que a arte permite.

ZéVitor começou a compor na adolescência, buscando sua identidade musical integrando estilos e influências de sua geração. Filho caçula de Jackson Antunes, ZéVitor sempre teve a música presente em sua vida. O rap, cada vez mais forte no Brasil e no mundo, não passou indiferente aos seus ouvidos. Sua música tem uma pegada pop, com acento forte na rima, trazendo uma rica inspiração do universo popular.

ZéVitor | Se eu disser | single
Produzido por: Clemente Magalhães
Arranjo: processo colaborativo dirigido por Clemente Magalhães e ZéVitor
Direção de voz: Clemente Magalhães e Cristiana Britto
Músicos: Leo Fernandes: fender rodes, escaleta e percuteria I Guilla: baixo I Claudio Bezz: violão I
Gravado e Mixado por: Renato Alscher no Estúdio Corredor 5 I Masterizado por: Carlos Freitas
Para ouvir nas plataformas digitais: https://onerpm.lnk.to/zevitor
Para assistir o clipe: Se eu Disser: https://youtu.be/JidCUNFpTGA

Informações para a imprensa:
Ana Paula Silveira